Hulk: “eu estava bem para jogar e foi opção do nosso treinador”

O médico da Seleção Brasileira, José Luiz Runco, afirmou também que em nenhum momento recomendou para Felipão tirar Hulk da partida

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Diferentemente do que todos que estavam na Arena Castelão acreditavam, a ausência do atacante Hulk no empate por 0 a 0 contra o México, não foi tomada por uma questão médica e sim pela opção tática do técnico Luiz Felipe Scolari. Apesar do camisa 7 nem ter feito aquecimento e passado a partida toda no banco de reservas, tanto o jogador, como o departamento médico, como Felipão garantem que o atleta não tem nenhuma lesão na coxa esquerda.

“Eu não estou lesionado. Estou bem. Me recuperei a tempo. Foi opção do treinador hoje”, afirmou Hulk questionado sobre a entrada de Ramires em seu lugar. Felipão confirmou a declaração do atacante e deixou um recado dizendo que quando ele estiver melhor com relação as dores que se sentiu poderá brigar novamente por uma vaga de titular.

“A decisão de ele não jogar foi minha. Ele tinha condições de jogar. Fiz uma opção e optei pelo Ramires. Ele vai voltar (aos treinos) quando a gente retornar aos trabalhos. Se ele se sentir melhor, se aquela mínima dor que é normal passar, tem chances de voltar ao time titular. Os exames não demonstram nada (em relação à lesão)”.

Sem muita conversa com os jornalistas, Hulk disse que não chegou a conversar muito com Scolari sobre a escolha dele no duelo contra os mexicanos e afirmou que por ele estaria em campo em qualquer partida da Seleção nesta Copa do Mundo.

“Felipão não tem que conversar com ninguém para dar satisfação. Ele é o treinador, tenho de respeitar, mas eu estava bem para jogar. Se vou pedir para jogar? Eu quero jogar todos os jogos, mas é o treinador é que me escala”.

O médico da Seleção Brasileira, José Luiz Runco, afirmou também que em nenhum momento recomendou para Felipão tirar Hulk da partida. “Hulk está liberado pode participar normalmente nos treinos. Tava no banco hoje, poderia ter sido usado. Aí é uma questão da parte técnica como o Luiz Felipe explicou na coletiva. Não é uma lesão, se fosse lesão evidentemente que não teria condições (de jogo)”.

Fato é que sem Hulk, Felipão não escalou nesta terça-feira o time que considera ideal desde a Copa das Confederações e viu o time pecar em termos de criatividade. Apesar disso, ele afirmou que a troca de Ramires no intervalo pela entrada de Bernard foi devido ao cartão amarelo que o jogador do Chelsea tomou antes do intervalo. “Em princípio, o Ramires saiu foi pelo cartão. Ele é impetuoso. Como o jogo tava muito dividido, nessa impetuosidade, ele acabou fazendo uma falta e o juiz entendeu que era para cartão”.

Fonte: Terra

Compartilhar: