HUOL realiza amanhã a primeira transmissão com imagens 4K no Brasil

Imagens da cirurgia serão enviadas em tempo real para a Califórnia

Ao todo, serão quatro cirurgias em 4k, em tempo real e simultânea. Foto: Divulgação
Ao todo, serão quatro cirurgias em 4k, em tempo real e simultânea. Foto: Divulgação

Roberto Campello
Roberto_campello1@yahoo.com.br

Depois da primeira transmissão de cirurgia cardíaca realizada no Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol) ao vivo e com qualidade 4k (quatro vezes superior as imagens em Full HD), Natal integrará o grupo de cinco cidades brasileiras, que transmitirão nesta terça-feira (10), às 15h25, imagens para a Cinegrid, nos Estados Unidos, que é uma associação internacional integrada por entidades e estúdios de cinema. Ao todo, serão quatro cirurgias em 4k, em tempo real e simultânea, diretamente do Brasil para os Estados Unidos.

Os hospitais universitários federais de Brasília (HU-UnB), de Porto Alegre (HCPA/UFRGS), do Espírito Santo (HUCAM/UFES) e do Rio Grande do Norte (HUOL/UFRN) serão as instituições responsáveis pelos procedimentos.

A demonstração inédita terá dois pontos de visualização: um no Hotel San Marco, em Brasília, e o outro em San Diego, na Califórnia. Na cidade norte-americana, o evento é feito pelo CineGrid, empresas de tecnologia, universidades e redes de pesquisas de vários países do mundo. Para isso, será utilizado o pacote de software denominado ‘Player Fogo’, desenvolvido pelo Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital da Universidade Federal da Paraíba (Lavid/UFPB), em parceria com a RNP, que transmite, reproduz, armazena e transcodifica vídeos UHD (Ultra Alta Definição, traduzido do inglês).

A ação é uma parceria da Rede Universitária de Telemedicina (Rute), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RDN). A Rede Universitária de Telemedicina é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia, apoiada pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pela Associação Brasileira de Hospitais Universitários (Abrahue) e coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que visa a apoiar o aprimoramento de projetos em telemedicina já existentes e incentivar o surgimento de futuros trabalhos interinstitucionais. O projeto visa apoiar o aprimoramento de projetos em telemedicina já existentes e incentivar o surgimento de futuros trabalhos interinstitucionais.

“A Cinegrid é uma espécie de Copa do Mundo dos laboratórios e centros de pesquisa que trabalham com big vídeos, vídeos gigantes. Lá são mostrados os avanços dos principais grupos do mundo, que trabalham no desenvolvimento desse tipo de tecnologia”, afirma Guido Lemos, coordenador geral do experimento. Ele destaca ainda que será a primeira vez que algo do tipo parte do Brasil para os Estados Unidos. Além disso, o coordenador adianta que, para 2014, já estão sendo planejadas duas novas transmissões de cirurgias em eventos de larga escala.

Desta vez será transmitida, direto do Hospital Universitário Onofre Lopes, uma cirurgia de retirada do baço por abscesso hepático, realizada pelo médico Irami Araújo Filho. Tal como ocorreu no evento anterior, as imagens a serem transmitidas são de cirurgias, isto porque o objetivo do experimento é interligar trezentos hospitais no Brasil, para dotá-los de infraestrutura de rede e equipamentos para filmar, transmitir e visualizar procedimentos médicos com resolução 4k, que compreende o ‘Projeto Rute 2.0′.

“Trata-se de um grande ganho para a educação. Com as transmissões em 4K, estudantes, pesquisadores e profissionais de saúde poderão assistir às cirurgias detalhadamente e discutir com os especialistas. Para se ter uma ideia, um coração, por exemplo, passa a ter o tamanho de um ser humano na tela. È uma oportunidade de difundirmos técnicas operatórias e conhecimento, além de abranger o maior número possíveis de aluno e profissionais de saúde, principalmente para os residentes de cirurgia geral. É mais uma ferramenta de ampliarmos a qualidade de ensino e aprendizado na área de saúde”, destacou Irami Araújo Filho.

De acordo com o professor Guido Lemos, para manter a qualidade das imagens circulando em distância muito superior não foi preciso novos equipamentos. A diferença está na infraestrutura, que é mais complexa. O experimento está tendo a colaboração de engenheiros brasileiros (em Natal, da UFRN) e de pesquisadores de computação da saúde em sete cidades diferentes no Brasil e nos Estados Unidos. São cerca de 50 pessoas trabalhando para o teste funcionar. “A logística é muito mais complicada. São mais equipamentos para transportar, configurar e operar em locais distintos.

A complexidade é pelo menos dez vezes maior que o teste feito em Natal”, explica o professor.

A exibição dos vídeos será feita no evento do CineGrid (http://www.cinegrid.org/) na Califórnia, durante a apresentação do professor Guido Lemos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e, concomitantemente, em Brasília, durante o Evento da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). A apresentação do professor Guido será das 10h25 às 10h50, horário de San Diego, o que representa das 15h25 às 15h50 (horário de Natal).

Compartilhar: