Ideia de jerico

Fernando Rodrigues Colunista da Folha de S. Paulo Estudei jornalismo na Inglaterra nos anos 80 e me assustei com uma…

Fernando Rodrigues
Colunista da Folha de S. Paulo

Estudei jornalismo na Inglaterra nos anos 80 e me assustei com uma das disciplinas: taquigrafia. É que ao pedir emprego, os repórteres ingleses precisavam colocar no currículo quantas palavras conseguiam anotar por minuto.

Não sei como é hoje, mas à época era proibido qualquer tipo de gravação em certos lugares públicos na Inglaterra. Na Câmara dos Lordes, nem pensar. O jornalista se virava rabiscando o máximo que conseguia no menor tempo possível.

Fracassei em “shorthand” (taquigrafia, em inglês). Não enxerguei uso na técnica. Preferi ficar com o meu sistema próprio de garatujas que só eu entendo. Além disso, embora muito mais atrasado do que a Inglaterra, o Brasil já não tinha a péssima tradição de proibir repórteres de usar gravadores no Congresso e em vários locais públicos. Bastava gravar.

Esse é um bom costume. Há por aqui o registro eletrônico de sessões do Congresso, de falas presidenciais e de sessões do Poder Judiciário.
É evidente que juízes estranharam e ainda se incomodam com a TV Justiça. Mas é um avanço institucional enorme permitir aos cidadãos de todo o país ter acesso a julgamentos, ao vivo e em cores. Há um valor pedagógico em disseminar na sociedade como se dá a prática do direito.

Só que agora um deputado do PT acaba de apresentar um projeto de lei propondo o fim das transmissões das sessões do STF. O objetivo é evitar a exposição das “entranhas da Justiça” que são “mostradas com sensacionalismo exacerbado por parte de alguns ministros em particular”.
Regressiva e inconstitucional (com um Poder interferindo em outro), a proposta talvez não devesse ser assunto aqui. Como no Brasil há às vezes raios em céu azul, é melhor registrar para que, se o retrocesso vier, ninguém possa alegar ter sido apanhado de surpresa. E fica outra vez confirmado o triste axioma da democracia local: toda vez que um deputado tem uma ideia o Brasil piora. (Publicado na Folha de S. Paulo de 21/12/2013)

 

EM BUSCA…
Enquanto o sistema de saúde continua aos pedaços e a segurança pública quase inexistente no Estado, a governadora Rosalba Ciarlini, mais uma vez, tenta abafar os vários fatores negativos de sua administração com a ajuda do sucesso das obras da Copa, em especial a construção do Arena das Dunas e do Aeroporto de São Gonçalo.

…DA AGENDA…
Mesmo com a ameaça real de retorno das greves nos dois setores, e das seguidas notícias de assassinatos ou de dificuldades no atendimento na rede de saúde, Rosalba foi receber do Exército a conclusão da pista do Aeroporto, passou no retorno pelas obras do acesso ao terminal e, na segunda-feira, comunicará a imprensa sobre as datas relativas a inauguração da Arena das Dunas. Mas, nenhuma palavra sobre todos os outros graves problemas.

… POSITIVA
Partiu da assessoria do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, a notícia da cobrança feita pelo Ministério da Justiça para cima do governo do Estado. O governo federal exige o cumprimento de metas para que o programa Brasil Mais Seguro, anunciado com pompa e circunstância no RN, seja implantado de verdade por aqui.

REAÇÃO
E a postura do Ministério já surtiu efeito. Ontem mesmo a governadora se reuniu com o secretário Aldair da Rocha e a nova diretora do Itep, Raquel Taveira. Em pauta justamente as exigências do governo Dilma Rousseff para incluir o Estado no projeto federal. E, acreditem, a mudança no comando do órgão foi apontado como o primeiro passo para atender aos requisitos. Isso três anos depois do início do governo.

FICÇÃO
Durante a última semana foram muitos os vereadores se vangloriando porque conseguiram destinar milhões de reais para determinada área da administração pública. Isso dentro do planejamento imposto pelo Plano Plurianual, que prevê ações municipais para os próximos quatro anos. Até parece que eles não sabem que tudo isso raramente sai do papel.

DISPUTA NEGATIVA
Enquanto muitos apontam Rosalba como a governadora mais rejeitada do Brasil, com base nos números divulgados pelo Ibope, poucos percebem a proximidade da única gestora democrata com outros dois “ícones” do PT. O segundo mais rejeitado no mesmo levnatamento foi Agnelo Queiroz, governador de Brasília. Além dele, após o polêmico aumento do IPTU, Fernando Haddad em São Paulo tem tudo para entrar nessa disputa.
CONTRA VIOLÊNCIA
A população de Macaíba realiza neste domingo (22) mais uma mobilização em defesa pela paz. O movimento “Macaíba pela Paz” terá concentração no ginásio de esportes, a partir das 8h, com caminhada até a prefeitura de Macaíba. O objetivo principal da ação é a implantação da segurança municipal, um pedido de socorro às autoridades diante da situação de violência vivida diariamente pelo município

CRISE
Leitores/torcedores encaminham denúncias sobre a situação vivenciada pelo Alecrim. Os relatos seriam de dívidas com jogadores, cozinheiras do clube, com empresas de ônibus e até com a pousada onde os atletas moram. Este colunista/torcedor tentará esclarecer tudo para publicar aqui na próxima semana, sempre na expectativa de que dias melhores virão para o Esmeraldino.

GIRA MUNDO

As dimensões continentais do Brasil e a necessidade de deslocar turistas e seleções por milhares de quilômetros entre as 12 sedes do torneio vão transformar a Copa do Mundo de 2014 no evento esportivo mais poluente dos últimos oito anos. O Mundial do Brasil deve jogar 2,7 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera, segundo relatório elaborado a pedido da Fifa. A quantidade de poluentes é similar aos gases gerados por 560 mil carros ao longo de um ano. A notícia está no Uol.

Compartilhar: