Impasse sobre retirada dos ônibus circulares na UFRN continua sem solução

A justificativa para o abandono do circular seria porque a linha é considerada deficitária, já que tem tarifa gratuita e não conta com nenhuma contra partida financeira do setor público

Reunao-da-Semob--HD

Em reunião realiza nesta quinta-feira (24) na sede da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) com a titular da pasta, Elequicina Santos, a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Janeusa Trindade, representando a reitora da UFRN, Ângela Paiva Cruz, debateu sobre o encaminhamento que a Prefeitura do Natal dará a solicitação de manutenção dos ônibus circulares, responsáveis pelo transporte dos universitários no Campus Central. Também foi discutida a proposta da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) sobre o acréscimo de mais um veículo na frota, totalizando oito.

Anteriormente, o prefeito Carlos Eduardo havia garantido a reitora e aos representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) que os ônibus circulares não seriam retirados do Campus Universitário e ainda afirmou que a Semob tomaria as providências necessárias para a manutenção do serviço, além de multar as empresas no caso de não cumprimento do itinerário estabelecido.

Porém, nas últimas semanas, veio à notícia de uma possível tentativa por parte do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn) em retirar a linha circular, motivo para um protesto de estudantes, marcado para o início desta noite, a partir das 18h, na lateral do Shopping Via Direta.

A justificativa para o abandono do circular seria porque a linha é considerada deficitária, já que tem tarifa gratuita e não conta com nenhuma contra partida financeira do setor público.

A professora Janeusa Trindade afirmou que a postura tomada pela universidade para a reunião é a de não permitir a retirada da linha de ônibus. “Propomos essa reunião a partir de uma notícia na mídia que falava sobre a possibilidade de retirada da linha do circular da UFRN. O transporte é essencial e hoje necessitamos de mais para suprir a necessidade crescente no número de alunos que ingressam a cada ano. Nosso entendimento é que não se pode remover os circulares do campus e não acreditamos na retirada” afirmou. Ela também espera que com a negociação os circulares sejam mantidos. “É uma necessidade para a população universitária e também para a cidade do Natal, que precisa utilizar os serviços oferecidos pela universidade. A UFRN não vai permitir uma prática como essa” disse.

Daniella Araújo, coordenadora geral do DCE-UFRN, diz que a principal reivindicação dos estudantes é a não retirada do transporte do campus. “Temos um direito adquirido ao transporte. Há muito tempo que os estudantes da UFRN se utilizam desse transporte público e de uma hora pra outra ouvimos na mídia que não poderemos mais ter esse direito e que vai ser pago. O estudante tem a preocupação na resolução do problema manutenção do sistema de transporte” concluiu.

Ela confirma que caso o pleito não seja atendido, a pressão por parte dos estudantes universitários continuará, por meio de manifestações. “Hoje iremos pressionar através de um ato, com saída da parada do circular, e pretendemos protestar contra e, caso não seja atendida a reivindicação, nós continuaremos pressionado. Para mim, essa situação é uma articulação estratégica da própria Prefeitura juntamente com o Seturn, para um posterior aumento da tarifa do transporte público de Natal como um todo” relatou.

Durante toda a ocasião, os estudantes presentes cobraram respostas da secretaria sobre a decisão do órgão em não dar a devida resposta ao posicionamento do Seturn em retirar os circulares. “Não temos como admitir ameaças do Seturn, se o órgão gestor do transporte é a Semob” afirmou a coordenadora geral do DCE, Daniella Araújo.

O secretário adjunto de Transportes, Clodoaldo Cabral, afirmou que a necessidade do momento é fazer um levantamento sobre a demanda dos circulares para constatar os dados sobre o número de alunos que utilizam esse transporte. “A partir das pesquisas, iremos propor soluções. Pretendemos ouvir as reivindicações e mostrar nossa posição contrária à retirada da linha do Campus Universitário” contou.

No final da reunião, ficou firmado um acordo para realização de estudo sobre a atual situação dos transportes da universidade, que será gerenciado por uma comissão formada durante o encontro.

Compartilhar:
    Publicidade