IMPUGNAÇÃO – Túlio Lemos

Segundo Sherloquinho, o Ministério Público Eleitoral poderá pedir a impugnação da candidatura da ex-governadora Wilma de Faria. O motivo seria…

Segundo Sherloquinho, o Ministério Público Eleitoral poderá pedir a impugnação da candidatura da ex-governadora Wilma de Faria. O motivo seria inelegibilidade provocada pela viagem do prefeito Carlos Eduardo, em que Wilma terminou, oficialmente, assumindo a Prefeitura de Natal, apesar de não ter tomado posse. É aguardar.

IMPEACHMENT

O PMDB e os partidos que apóiam as candidaturas de Henrique Alves e Wilma de Faria, bem que poderiam mostrar que realmente estão na oposição e acelerar o processo de impeachment da governadora Rosalba Ciarlini. A morosidade da turma do acordão em relação a esse tema, é a maior prova de conluio indireto com a Rosa.

JUDICIALIZAÇÃO

A campanha eleitoral majoritária no RN deverá ser judicializada. Para os que querem abusar do poder econômico impunemente, nada pior do que uma campanha em que o Ministério Público atua com rigor e a Justiça Eleitoral se faz presente sem discriminação.

PASSADO

Os que, em passado bem recente, defendiam o total afastamento da Justiça Eleitoral do pleito em Mossoró, eram os mesmos que tinha interesse direto na utilização da máquina pública para ganhar a eleição. Ou seja: quem reclama de judicialização, geralmente está tentando fraudar a eleição sem ser incomodado.

PROPAGANDA

A propaganda eleitoral para prefeito de Natal no Rádio e na TV, José Dantas de Paiva, deu exemplo de como ser rigoroso sem censura. O que se apresentava como denúncia ou crítica de adversários contra outros, desde que fossem fatos verdadeiros, não mereciam direito de resposta. É a materialização da Justiça que respeita a liberdade de expressão com responsabilidade.

PRESENTE

Independentemente de comparações, afinal, cada magistrado tem um estilo a ser respeitado, esperamos que a propaganda eleitoral deste ano, no Rádio e na TV, também respeite o direito de crítica e ampare denúncia verdadeira. Só assim sairemos do mundo de encenação produzido pelos marqueteiros e chegaremos mais perto da realidade desconhecida ou esquecida da grande maioria da população.

POSSE

Por falar em Assembleia, a demora no cumprimento da determinação judicial de afastamento do deputado Gilson Moura, não é uma boa sinalização do Parlamento. Decisão judicial tem que ser cumprida; caso haja discordância, recorre-se, mas sem descumprimento, mesmo que a decisão atinja um deputado do mesmo partido do presidente da Casa. Será que estão esperando uma liminar?

ENFRAQUECIMENTO

A posse do deputado Dibson Nasser, determinada pelo TSE, enfraquece bastante a candidatura do deputado José Adécio, que vira suplente justamente no início da campanha eleitoral. Ou seja: suplente é suplente, com todas as suas dificuldades. As promessas feitas não mais poderão ser cumpridas com as lideranças do interior. Ficou ruim pra Adécio, que pode ter sido vítima do acordão.

DEFESA

O ministro Garibaldi Filho fez a defesa do que os Alves fizeram pelo RN. Citou seu próprio Governo e as obras hídricas realizadas. Relembrou o pioneirismo de Aluízio Alves em 1960. O pai de Waltinho ‘esqueceu’ de falar sobre os Maia e também de citar objetivamente, o que seu primo Henrique fez pelo RN em seus 11 mandatos.

JÁ GANHOU

A mulher de Henrique Alves já entrou no clima de já ganhou. Pelo menos é o que deixa transparecer em sua avaliação pelo twitter. A jornalista Lidiane Mary, assessora de Sávio Hacrakdt, postou: “Quem quer ganhar não escolhe adversário, vai lá, luta e vence”. Laurita Arruda, mulher do candidato do PMDB reforçou: “Mas adversário já vencido é melhor”.

FALHOU

Sherloquinho quer saber quem aderiu a uma determinada candidatura com a promessa de receber muito milho no São João e ainda não recebeu nem a metade do prometido e está chateada, ameaçando desistir? A Casa da Moeda tem que trabalhar dobrado para atender aos pedidos.

Compartilhar:
    Publicidade