Inconformado, árbitro vítima de racismo vai processar o Esportivo

O árbitro Márcio Chagas da Silva afirma que vai entrar na Justiça comum contra o clube no qual sofreu atos racistas

O árbitro Márcio Chagas vai processar o Esportivo. Foto:Divulgação
O árbitro Márcio Chagas vai processar o Esportivo. Foto:Divulgação

Insatisfeito com a punição aplicada ao Esportivo pelos atos racistas que sofreu em jogo do Campeonato Gaúcho (multa de R$ 30 mil e perda de cinco mandos de campo), o árbitro Márcio Chagas da Silva decidiu abrir um processo cível e criminal contra o clube. “Não me sinto derrotado. Já que a punição esportiva não teve o alcance que eu imaginei, vamos partir para a justiça comum. Vou me reunir com os advogados na segunda-feira para iniciar o processo”, disse o árbitro.

Márcio pretende abrir uma ação por injúrias racistas e também por danos materiais. No dia 5 de março, ao apitar a partida entre Esportivo e Veranópolis, em Bento Gonçalves, Márcio Chagas foi xingado de “macaco safado” antes, no intervalo e após o jogo. Além disso, encontrou o seu carro amassado, arranhado e com bananas sobre o capô e o teto.

No julgamento da última quinta-feira, o Esportivo recebeu uma pena branda, que foi comemorada pelos dirigentes. O clube poderia perder pontos ou até ser excluído do torneio. “Perdemos uma chance de dar uma basta no racismo. O que falta acontecer para que tomem uma providência? Uma tragédia?”,  diz, indignado.

Embora secundários, os prejuízos materiais também preocupam o árbitro. “Vou ter que fazer um orçamento, pagar o conserto e aguardar. Vou atrás dos meus diretos como cidadão. Achei que essa punição fosse prever algo com relação ao conserto do meu carro. Foi provado que aconteceu dentro do clube”, disse Márcio.

O julgamento durou mais de quatro horas. O relator Paulo Abreu votou pela aplicação das penas máximas: exclusão do campeonato e multa. Paulo Nagelstein pediu multa de R$ 20 mil e perda de mando de campo de cinco jogos. Álvaro Paganotto seguiu o relator. Por fim, o presidente Marcelo Castro, com voto peso dois, decidiu pela multa de R$ 30 mil e perda cinco mandos para o Esportivo. O clube passa a cumprir a pena a partir deste fim de semana.

Fonte:Estadão

Compartilhar: