Da ANAC aos operários: ninguém sabe dizer se o novo aeroporto funcionará na Copa

Anac homologará o funcionamento do novo terminal potiguar no próximo dia 19

Visita-do-ministro-da-aviacao-ao-Aeroporto-de-Sao-Goncalo-WR

Marcelo Hollanda

hollandajornalista@gmail.com

Faltando duas semanas para o já confirmado início de operações para pousos e decolagens no aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, o bom e velho Augusto Severo ainda corre o risco de ser o terminal aéreo da Copa. Isso, apesar da última informação oficial dar conta que a data fixada será respeitada – 22 de maio.

Hoje, em entrevista ao Bom Dia RN, da TV Cabugi, o comandante do 3º Distrito Naval, vice-almirante Marcos Nunes de Miranda, responsável pela segurança aérea durante o evento, porém, deu a entender que ainda não existe definição a respeito.

A assessoria de Imprensa da Agência Nacional de Aviação Civil, em Brasília, informou apenas que reuniões estariam acontecendo esta semana para decidir sobre o assunto. E que, por enquanto, vale o que foi anunciado anteriormente.

O JORNAL DE HOJE conversou pela manhã com fontes do Consórcio Inframérica e da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) de onde também não tirou nenhuma conclusão, exceto a de que quem vai decidir o impasse será a própria ANAC no próximo dia 19.

A indefinição é tão grande que nem uma autoridade como o vice-almirante Miranda é capaz de dizer com clareza por qual terminal os passageiros que vierem assistir aos jogos da Copa em Natal descerão.

Nem a própria Associação das Empresas Aéreas (Abear) , hoje, teria condições de informar se as empresas estarão em pleno funcionamento até o dia 22, daqui duas semanas. Ao assegurar tranquilidade ao espaço aéreo durante os jogos em Natal, o vice-almirante foi claro: “seja qual for o aeroporto”, afirmou.

Juntando a correria que vem sendo aprontar o acesso Norte ao terminal, a bolsa de apostas já foi aberta para quem quiser ganhar dinheiro com seus palpites – sai ou não sai São Gonçalo para a Copa?

O próprio Ministro Moreira Franco, da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), quando esteve por aqui em março, adiantou que o maior problema seria mesmo a transferência das companhias aéreas para o novo aeroporto, já que não se trata apenas da mudança de mesas e computadores, mas de toda uma tecnologia que depende de conectividade, além de treinamento de pessoal.

Mas por razões alheias à racionalidade optou-se por não se informar a opinião pública sobre a real situação, o que deve causar problemas para os agentes de viagens que cuidam do receptivo de turistas do Brasil e do exterior. Ouvida a esse respeito, Karina Emerenciano, da KLP Turismo, disse hoje que nem os funcionários da TAM com quem ela vem tratando nos últimos dias sabe que aeroporto vai funcionar. “Nesse exato momento, ninguém sabe de absolutamente nada”, resumiu.

Fontes de dentro da obra do aeroporto, que por motivos óbvios pediram para não se identificar, disseram que é muito difícil preparar o terminal para operar em duas semanas. A energia ainda vem de geradores, nenhum dos banheiros funciona e há uma infinidade de pequenos acabamentos a serem concluídos. “Para mim, é coisa para dois meses e não duas semanas”, afirmou uma dessas fontes.

Pelos planos da ANAC, o Augusto Severo seria reservado a vôos executivos, passando as operações comerciais imediatamente para São Gonçalo do Amarante. Essa informação foi ventilada por ocasião da recente vinda do Ministro Moreira Franco ao Rio Grande do Norte.

Até o final da manhã desta quinta-feira, a Associação Brasileira das Companhias Aéreas não respondeu à consulta do JH sobre a viabilidade do aeroporto de São Gonçalo estar operável até o próximo dia 19, quando a Anac homologará seu funcionamento.

Compartilhar:
    Publicidade