Indignados, “justiceiros” estão rendendo, espancando e amarrando criminosos

Casos como o do rapaz que foi preso à um poste de energia estão recorrentes no Estado

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os últimos noticiários demonstram que fazer Justiça com as próprias mãos está se tornando cada vez mais um hábito entre os brasileiros. Indignados com a violência, moradores agridem, amarram e chegam a matar criminosos por todo o País. Gestos como estes vêm se multiplicando também em Minas Gerais. Na última semana, um jovem de 18 anos foi amarrado com pedaços de lençol a um poste em Ipatinga, no Vale do Aço. Os responsáveis pela agressão ainda o obrigaram a gritar que “nunca mais iria roubar no morro”. Tudo foi gravado pelos envolvidos, que alegavam que o rapaz havia assaltado a comunidade.

Em Belo Horizonte, cena semelhante foi registrada no bairro Funcionários, região centro-sul de Belo Horizonte. Um suspeito de assalto foi amarrado a um telefone público. Ele teria roubado uma adolescente e, operários que viram o crime, ficaram revoltados com a situação. O homem foi preso com os pés para cima até que a PM chegasse ao local. Ele ainda foi espancado com chutes e pisoteado.

Ainda em BH, um ladrão foi espancado após praticar arrastão em um ônibus da linha 5390 (Felixlândia/Belo Horizonte) durante a madrugada. Teófilo Dias da Silva, de 36 anos, levou socos, chutes e pontapés.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em outra ocasião, o ladrão de um supermercado acabou levando a pior ao cruzar com um policial civil aposentado. Ele havia acabado de levar R$ 600 do estabelecimento quando foi rendido pelo homem. Depois de agredido, o suspeito permaneceu amarrado no local. Toda a ação aconteceu bem em frente à um posto da PM.

Já em Nova Lima, na região metropolitana da capital, um jovem de 17 anos que tentava furtar fios de cobre de uma empresa foi amarrado com uma corda por vizinhos até a chegada da polícia. Um comparsa do rapaz, conhecido como “Tripa”, conseguiu fugir.

Outro criminoso foi rendido pelas vítimas em uma obra do bairro Salgado Filho, na região oeste de Belo Horizonte. Mário Borges, de 21 anos, foi agredido por moradores da região ao ser flagrado pulando o muro do local invadido com uma caixa de cerâmica nas mãos.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Fonte: R7

 

Compartilhar:
    Publicidade