INELEGÍVEL

A governadora Rosalba Ciarlini poderá ter, na tarde de hoje, uma derrota jurídica com forte conseqüência eleitoral e política. Quando…

A governadora Rosalba Ciarlini poderá ter, na tarde de hoje, uma derrota jurídica com forte conseqüência eleitoral e política. Quando o Jornal de Hoje estiver nas bancas, o TRE já deverá ter sentenciado a governadora, que perdeu o prazo de recurso em condenação na Justiça Eleitoral de Mossoró. Nesse caso, a Rosa ficará inelegível por oito anos.

CENÁRIO
Muito se fala a respeito das possíveis ligações de integrantes do TRE com políticos do Estado. O grande problema para Rosalba é que ela perdeu completamente sua base aliada e seu respaldo político. Tirar Rosalba do páreo eleitoral é do interesse de José Agripino, Wilma de Faria, Garibaldi Filho, Henrique Alves, Robinson Faria… Ou seja: A Rosa está isolada e sem força.

TRABALHO
A ação desenvolvida pelo deputado federal Henrique Alves foi no sentido de salvar o mandato da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina. Mesmo com toda a pressão exercida, o gêmeo de Ana Catarina não conseguiu reverter a condenação da prefeita, que foi afastada do cargo e terá muita dificuldade para retomar seu mandato. Quanto a Rosalba, caso ela seja considerada inelegível, abre o caminho para o PMDB de Henrique fechar aliança com o DEM de José Agripino.

CANDIDATURA
Embora saiba que é, eleitoralmente, o nome mais fraco da família Alves para disputar o Governo e o mais forte politicamente, o deputado Henrique Alves continua sonhando com a candidatura ao Executivo. Porém, há obstáculos impostos pelas circunstâncias que ele tem dificuldades para superar.

REJEIÇÃO
A rejeição do eleitorado ao nome de Henrique é um fato que ele tem conhecimento científico através de pesquisas. Experiente, sabe que o eleitor não escolhe candidato, escolhe o candidato que os partidos escolheram. Ou seja: Será a partir dos nomes apresentados ao eleitorado que a disputa será dura ou não. Com Garibaldi Filho como candidato a governador, quem seria seu adversário? Com um nome forte concorrendo, a lista de possíveis adversários é reduzida de forma significativa.

NOMES
Diante da premissa de que os nomes é que indicam chance de vitória ou dificuldades na disputa, Henrique quer ‘limpar a área’ e ser praticamente ‘o candidato’, ungido pelos principais partidos políticos. O raciocínio dele é: Sem grandes nomes na disputa, minhas chances são ampliadas sensivelmente.

RETIRADA
Henrique sabe que há duas mulheres fortes política e eleitoralmente na disputa majoritária: Wilma de Faria e Fátima Bezerra. Caso uma delas seja excluída dos acordos de fechamento de chapas, poderá se unir a outros nomes excluídos, como o vice-governador Robinson Faria. Limpar a área não é tarefa muito fácil. Há nomes que não admitem retirada ou exclusão e podem formar chapa opositora; esse é o grande temor de Henrique, pois quem ficar fora poderá derrotar sua chapa.

DIFERENÇA
A grande diferença entre Henrique e Garibaldi é justamente que um move céus e terra para se viabilizar e encontra resistência e dificuldades; o outro, mesmo sem nada fazer, basta sinalizar que pode ser candidato, que o cenário se adéqua totalmente ao seu nome e os demais já desistem e mudam de projeto automaticamente.

PARADA
A Parada Gay, prevista para ser realizada neste final de semana, está ameaçada de não contar com o trio elétrico. A empresa que venceu a licitação feita pelo Governo do Estado, é sediada em Pernambuco e entre as suas atribuições, não consta a de locação de trio elétrico.

AMEAÇADA
A segunda colocada no certame licitatório, vai entrar na Justiça para desclassificar a empresa pernambucana. O problema é que o tempo, já que o evento está previsto para o fim de semana e, legalmente, o Estado terá dificuldades para contratar outra empresa em tempo hábil.

VITÓRIA
A oficialização de Eraldo Paiva na presidência do PT no RN, é uma vitória do grupo do deputado estadual Fernando Mineiro e uma derrota da deputada Fátima Bezerra, que atuou sem habilidade nesse processo de eleição interna do PT. Fátima conquistou uma estatura maior que o próprio partido, mas ainda não se deu conta disso.

INVASÃO
De um gaiato, ao ver o acampamento de policiais militares no Centro Administrativo: “Os Sem Terra deviam invadir e ocupar a governadoria; afinal, é uma área improdutiva”.

Compartilhar: