A injustiça assinalada

Embora rivalize com Henrique Eduardo Alves (RN) na pugna interna do PMDB, Eduardo Cunha (RJ) assumiu a defesa do presidente…

Embora rivalize com Henrique Eduardo Alves (RN) na pugna interna do PMDB, Eduardo Cunha (RJ) assumiu a defesa do presidente da Câmara no caso José Genoíno (PT-SP). Condenado à prisão pelo Supremo, o deputado paulista renunciou ao mandato, que cumpria como suplente, para evitar a inevitável cassação.

Henrique foi apoiado pela maioria da mesa diretora para levar o caso de Genoíno ao Conselho de Ética. O PT queria a postergação, impossível diante das circunstâncias.

Rebate do deputado-líder da bancada peemedebista:
“É injusta a reclamação. O presidente (Henrique) fez mais do que deveria. Bastava cumprir a determinação do STF e anunciar a perda imediata do mandato de Genoíno.”

Tempo de aperto
A difícil batalha de Heloísa Helena (foto).
Vereadora em Maceió, ela, para reconquistar assento no Senado, precisa derrotar o bem avaliado governador de Alagoas, tucano Teotônio Vilela, filho, também ex-senador. Ele é o responsável pela campanha de Aécio Neves em seu estado.

Principal referência do Partido Socialismo e Liberdade no Nordeste, Heloísa tem o incentivo de Marina Silva, outra de origem petista que concorreu à Presidência da República. Ambas classificaram-se no terceiro lugar. Heloísa Helena em 2006, pelo PSOL. Quatro anos depois, Marina, sob a bandeira do PV.

No primeiro turno da eleição presidencial, Marina Silva, agora no PSB, acompanha  Eduardo Campos e nele continuará caso o pernambucano se classifique para a final.  Heloísa Helena apoia o representante do PSOL, senador Randolfe Rodrigues (AP), sem chance de transpor a primeira fase.

Margem é ampla
O Datafolha constata o óbvio.
Seja qual for o oponente, ele será derrotado por Dilma Rousseff (PT) no contingente eleitoral que agrega os beneficiários do Bolsa Família.

Conforme o instituto, a Presidente bateria Aécio Neves (PSDB) por 63% a 12%. Eduardo Campos (PSB) teria 9% e a senhora Rousseff repetiria a mesma pontuação obtida no embate com o tucano.

O MAU CAMINHO
“Basta de desgaste” é expressão repetida no PT.
Orientados pela direção nacional, vários deputados e senadores filiados à legenda recomendam a José Dirceu, diretamente ou por intermediários, a desistência do emprego no Saint Pierre Hotel.

Esses parlamentares estão preocupados, porque a empresa, acusada de “lavanderia” internacional, expõe o chefe da Casa Civil no primeiro governo Lula da Silva e prejudica a imagem do partido.

 

- Eduardo Cunha consolida-se como líder da bancada do PMDB na Câmara. Está desenhado o cenário para o deputado ganhar mais um período em 2014.
- A partir das 19h do dia 13, no Midway, Thaisa Mendonça autografa Um mossoroense de fora. Trata-se da biografia de Jaime Hipólito Dantas, jornalista de belo texto nascido em Caicó e, durante décadas, habitante da capital do Oeste.
- No seu V Congresso, próxima semana, em Brasília, o PT fará desagravo aos companheiros condenados pelos crimes de corrupção e formação de quadrilha. No ato, refutará o julgamento da Suprema Corte e “a injustiça das prisões” A informação é do presidente nacional da sigla, Rui Falcão.
- Cuide do seu filho antes que um agente do tráfico o adote.
- O Palácio do Planalto anuncia a presença de Dilma Rousseff no sorteio de grupos da Copa do Mundo, amanhã, na Costa do Sauipe (BA). Dos desafiantes da presidente recandidata na eleição do ano que vem, está confirmado apenas Eduardo Campos.
- Trabalho de Aécio Neves, no final de semana: caça ao voto no interior de São Paulo. Diz o senador candidato ao Executivo federal que será o sucessor da senhora Rousseff “se ganhar nas urnas paulistas”.
- De amanhã a domingo, em São Paulo, XVIII Congresso do PPS.  Na pauta, o rumo do partido na campanha para o Palácio do Planalto. O grupo do deputado-presidente Roberto Freire prefere Eduardo Campos. Mas, Aécio Neves tem aguerrido fã-clube.
- Para refletir: “Perdoar não é absolver da culpa” (Terwal Segom, jornalista brasileiro).

Compartilhar: