Inscrições para bolsistas prosseguem até a próxima semana

Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) oferece 60 vagas para agentes de inovação e duas para orientadores

 Os valores das bolsas variam de R$ 3,6 mil a R$ 4 mil para as respectivas funções. Foto: Divulgação
Os valores das bolsas variam de R$ 3,6 mil a R$ 4 mil para as respectivas funções. Foto: Divulgação

As inscrições para as vagas de bolsistas do terceiro clico do processo seletivo do programa Agentes Locais de Inovação (ALI), um dos projetos mais bem sucedidos do Sebrae no Rio Grande do Norte na promoção à inovação tecnológica, continuam até dia 8 de janeiro. Mais de 300 interessados já se candidataram às 60 vagas de agentes de inovação e a duas de orientadores. Já o envio de documentação para as vagas de orientadores podem ser feitas até dia 09. Os valores das bolsas variam de R$ 3,6 mil a R$ 4 mil para as respectivas funções. As inscrições podem ser feitas pela internet, através do site da EGaion Consultoria (www.egaion.com.br). O ALI é resultado de parceria entre o Sebrae e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O processo seletivo visa à capacitação dos 60 candidatos a agentes aprovados no que se refere às soluções de inovação e tecnologia nas micro e pequenas empresas. A capacitação terá dois meses de duração e os participantes recebem uma bolsa de capacitação, nesse período, no valor de R$ 1,1 mil. Os 40 melhores classificados nessa fase de qualificação passam a integrar por dois anos o programa ALI conforme o quadro de vagas para cada cidade. Há vagas para Assú (3), Caicó (3), Currais Novos (2), Mossoró (4), Natal (22), Santa Cruz (2), Pau dos Ferros (2) e Nova Cruz (2).

De acordo com a gestora do ALI no Rio Grande do Norte, Algéria Varela, a experiência prática é uma das principais vantagens para aqueles que participam do programa. “Eles vão poder saber como funciona o dia-a-dia de diversas empresas”. Os agentes tem a meta de, durante os dois anos do programa, acompanhar cinquenta empresas. “Para os jovens profissionais, o programa é uma ótima vitrine. É um peso muito relevante para o currículo levar o nome do Sebrae”, lembra também a gestora.

Depois de contemplar empresas dos setores comercial e industrial do estado nos dois primeiros ciclos, o programa ALI deverá estender o atendimento também a microempresas a partir do próximo ano. A ideia do Sebrae é que os agentes selecionados passem a atender 1.000 microempresas e 1.000 negócios de pequeno porte neste terceiro ciclo do programa.”As empresas acompanhadas passam a contar com a vantagem de ter um representante do Sebrae dentro da empresa. Nos últimos ciclos, um dos resultados trazidos a partir dessa aproximação foi a indicação destas empresas à prêmios como o MPE Brasil e a Mulher de Negócios”, afirma Algéria Varela. Requisitos

Para participar, os candidatos a agente precisam ter concluído a graduação – bacharelado, licenciatura e tecnólogo – entre dezembro de 2010 e dezembro deste ano, entre outros requisitos. Os inscritos serão submetidos à análise do currículo. Os selecionados vão à segunda etapa, que consta de avaliação de conhecimentos, com provas objetiva e discursiva (estudo de caso).

Entre as atribuições dos aprovados, estão visitas, acompanhamento e diagnósticos das empresas participantes do programa, ajuda na elaboração e acompanhamento de plano de trabalho das empresas assistidas, acompanhar e facilitar o processo de inovação, entre outras funções.

Já os interessados nas vagas para orientadores devem ter formação superior em qualquer área há, no mínimo seis anos, ter titulação de mestre ou doutor e não estar matriculados em curso de nível superior. Além disso, é necessário experiência comprovada na área de inovação e tecnologia, atuação como orientador de graduandos, pós-graduandos e mestrando, assim como ter participado de projetos de pesquisa voltados a levantamento de boas práticas de inovação em empresas.

O processo seletivo dessa categoria envolve a análise curricular e documental e entrevista técnica. Os aprovados vão atuar como orientadores dos artigos científicos de até 30 agentes e elaborar, no mínimo, artigos de opinião. Terão também que traçar um ‘Plano de Atividades para a Orientação’ a ser desenvolvido pelos agentes. A maior parte dos trabalhos ocorrerá à distância, mas será necessário disponibilizar 20 horas mensais para atendimento presencial.

Compartilhar: