Interdição inferniza natalenses no primeiro dia da Copa no RN

Policiais rodoviários federais orientaram passageiros a esperar ônibus em outro local; “Envelopagem” ao redor do viaduto atrasado da BR ainda não foi concluída

Movimentacao-no-entorno-da-Arena-das-Dunas-WR-(2)

Marginais da principal avenida da cidade interditada, greve de rodoviários e uma chuva forte. Acrescente-se a tudo isso ao primeiro dia de Copa do Mundo na capital potiguar. Assim está pronta a receita que tira a paciência de qualquer natalense.

Quem trabalha nas proximidades da Arena das Dunas teve que ir ao trabalho mesmo enfrentando greve de motoristas e cobradores de ônibus. É o caso da auxiliar administrativa Ana Helena Soares. Ela trabalha numa clínica em Potilândia. Mas quando a equipe de reportagem chegou ao local, ela e outras colegas de trabalho estavam batendo papo na calçada porque não tinha clientes. “Os nossos pacientes não têm como estacionar, então eles evitam esse empecilho”, disse.

A clínica trabalha com fisioterapia e atendimento de urgência em ortopedia, que não necessita de marcação. Segundo Ana Helena, em dias de semana comuns a clínica atende até 100 pacientes. Por volta das 9h da manhã de hoje, ninguém havia passado por lá.

Para ele, o pior de toda essa história foi a falta de comunicação. “A gente sabia que era perímetro de segurança, mas não veio nenhuma comunicação oficial. A gente ficou meio perdida. O pouco que a gente sabia foi pela internet. Acho que para não perder o dia, a gente mesmo vai se consultar aqui”, brincou.

Moradores e pessoas que trabalham no local tiveram que realizar um credenciamento para ter acesso a sua casa ou local de trabalho. Morador de Potilândia há 15 anos, Valdomiro da Silva Filho disse que teve que correr atrás do credenciamento, mas mesmo assim critica: “o morador de Potilândia ficou preso em casa e no jogo dos Estados Unidos vai ser pior”.

Como se não bastasse esperar horas na parada de ônibus pela frota de emergência, vários passageiros de ônibus foram “expulsos” pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) das paradas de ônibus nas imediações da Passarela de Potilândia por volta das 7h30 da manhã.

A aposentada Terezinha da Silva, de 68 anos, foi uma das pessoas que esperavam na parada e tiveram que sair tangidos pela polícia. “Ficou muito pior. Não tem mais ônibus pra gente andar. Já tive que pagar um táxi com um pessoal pra vir da Zona Norte pra cá. Se fosse de ônibus, eu nem ia pagar”, disse. Ela queria voltar para sua cidade, São José de Mipibu.

Movimentacao-no-entorno-da-Arena-das-Dunas-WR-(7)

Envelopamento pela metade

A promessa do secretário municipal de Obras e Infraestrutura de Natal, Tomaz Neto, era que o viaduto da BR 101, em construção ao lado da Arena das Dunas, estaria concretado e isolado durante a Copa em Natal. Sob o viaduto, os torcedores poderiam passar em três aberturas de oito metros de altura e cinco de largura. Mas hoje pela manhã, nossa equipe de reportagem encontrou uma máquina estacionada em uma dessas passagens. Algumas placas de metal que serviriam para o envelopamento estavam quase soltas.

O que era possível observar do viaduto é que muitas partes ainda não estavam concretadas, apenas com o “esqueleto” das ferragens. Tentamos entrar em contato telefônico com o secretário de obras, mas não foi possível.

Compartilhar: