Internautas procuram homem que foi ridicularizado por professores

Comentários indignados pedem que homem seja encontrado e o caso vá para Justiça

Página da professora Rosa Marina não estava disponível nesta manhã. Foto: Reprodução/Facebook
Página da professora Rosa Marina não estava disponível nesta manhã. Foto: Reprodução/Facebook

Após a publicação de um post polêmico em uma página do Facebook, internautas querem que o homem que teve sua imagem publicada pela professora da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) seja encontrado e que Rosa Marina de Brito Meyer seja processada. Nem o pedido de desculpas publicado por Rosa conseguiu amenizar a reação das pessoas nas redes sociais, que se mostraram indignadas e acham que, além de ser processada, a professora deve ser demitida.

Na manhã desta sexta-feira (7), a página de Rosa Marina apareceu fora do ar na rede social. Já na página de Dilma Bolada, perfil falso da presidente Dilma Rousseff, as manifestações continuam.

— Arrependida nada! Só se desculpou pq se tornou público!!! Aeroporto não é passarela.

Outro internauta diz que o senhor ofendido deve tomar conhecimento deste episódio.

— Espero sinceramente que o senhor que foi ofendido, tome conhecimento deste poster e a responsabilize em juízo, nada como a justiça para se aprender a respeitar o próximo… Este tipo de gente deve sentir o peso do seu erro e pagar por ele.

Em outro comentário, a sugestão é que os envolvidos sejam demitidos.

— Essa “professora”, bem como a tal de Daniela caso ocupe algum cargo de relevancia (professora ou algo que colabore com a formacao de opiniao popular) deveriam ser é demitidas.

Os outros envolvidos no episódio são o reitor da UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) Luiz Pedro Jutuca e a professora de letras também na PUC-Rio Daniela T. Vargas. Os dois responderam ao comentário na página da professora que dizia, junto com a foto, “Aeroporto ou rodoviária?”. O homem apontado no comentário estava sentado em uma lanchonete no aeroporto do Rio à vontade, de short, camisa regata e tênis.

Procurada, a assessoria de imprensa da PUC-Rio disse que, até o momento, a instituição não tem um posicionamento oficial sobre o episódio.

 

Fonte: R7

Compartilhar: