Internet ‘ilimitada’ tem limite e Anatel não vê irregularidade

Principal problema é lentidão após cota ser atingida; Anatel diz não ser irregular

Leandro reclama que a internet fica muito mais lenta depois que a cota estabelecida é atingida. Foto:Divulgação
Leandro reclama que a internet fica muito mais lenta depois que a cota estabelecida é atingida. Foto:Divulgação

Ilimitada é só no nome. Isso é o que dizem os consumidores de internet para celular. “Os vendedores não explicam que você terá uma quantidade de mega por mês. E que, se for utilizada na totalidade, a velocidade vai ser reduzida. Eles falam que a internet é ilimitada”, diz o fotógrafo Leandro Paiva Anselmo. Ele conta que tem o plano Liberty Web da TIM, com direito a usar até 300 mega por mês. “Depois disso fica muito lenta”, reclama.

Para Anselmo, trocar de operadora não vai resolver o problema. “Tenho amigos de outras operadoras. A reclamação é geral. Não tem outra alternativa. O 3G é insatisfatório.”

Ele também critica o fato de o governo não obrigar as operadoras a oferecer a totalidade da velocidade contratada. Para o fotógrafo, dessa forma, as empresas estão respaldadas.

O estudante de administração pública Lucas Paes também destaca que o problema do acesso lento depois de ultrapassada a franquia não é específico de uma operadora e conta que, para não ficar sem o serviço, controla o uso da internet pelo telefone móvel. “Como brasileiro, a gente aprende a se adaptar. Toda vez que posso, uso a rede Wi-Fi”, diz.

Há operadoras que oferecem a possibilidade de continuar com o serviço na mesma velocidade, desde que o cliente pague um valor extra, o que, segundo Paes, não é possível na TIM. “Antes tivesse a possibilidade de pagar mais e continuar com o serviço do que ficar sem e ter que esperar o próximo mês”.

A estudante de medicina Jéssica Acácio reclama que a qualidade da internet pelo celular deixa a desejar. “O principal problema é a velocidade. Estou morando no Rio de Janeiro e lá todo mundo também reclama. O problema é geral.”

Os incômodos com a internet não estão restritos ao serviço que é oferecido para ser utilizado nos celulares. O programador Américo Sá conta que em janeiro deste ano cancelou o serviço da GVT. “No começo, contratei um serviço de 15 MB. Só que eu não recebia mais de 6 MB. Fiz então um novo plano, de 25 MB, só que, aí, a internet parou de funcionar”, diz. Para ele, antes de escolher o plano, o consumidor deve procurar se informar e buscar um serviço que atenda às suas necessidades. Ele defende que os clientes pudessem fazer um teste, durante um determinado período, para definir qual plano seria ideal.

Não é irregular

Segundo a assessoria de imprensa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que regula o setor, se a operadora oferece um pacote ilimitado e a velocidade cai depois de certo tempo de uso, não há nenhuma irregularidade, desde que a empresa deixe claro no contrato feito com o cliente que a velocidade vai diminuir depois do estabelecido no plano.

Não é 100%

As operadoras são obrigadas a oferecer, em média, 70% da velocidade contratada pelo cliente (média das medições de velocidade instantânea apuradas durante o mês), de acordo com a Anatel.

Fonte:IG

Compartilhar: