iOS 8: usuário poderá responder mensagens sem abrir o aplicativo

Sistema traz "enormes" mudanças, tanto para os usuários quanto para os desenvolvedores

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Apple apresentou nesta segunda-feira, durante a palestra de abertura da WWDC 2014 em San Francisco, a próxima versão de seu sistema operacional para dispositivos móveis, o iOS 8.

Segundo Tim Cook, esta versão do sistema traz “enormes” mudanças, tanto para os usuários quanto para os desenvolvedores. A central de notificações foi modificada, e agora é possível responder a uma mensagem sem ter de abrir um app, por exemplo. É possível interagir com notificações mesmo na lockscreen.

O Safari no iPad ganha o mesmo modo de visualização de abas que no iPhone, e a barra lateral da versão para o iOS. O Mail tem novos gestos para marcar uma mensagem como não lida, ou marcá-la para leitura posterior. Ao compor uma mensagem é possível ocultar um rascunho com um gesto, verificar ou copiar informações em uma outra mensagem e retomar o rascunho com outro gesto.

O Spotlight tem alguns dos recursos do Yosemite, e em uma busca pode sugerir apps relacionados que você ainda não tem, ou filmes para streaming ou no cinema quando você busca pelo título.

O Quicktype é um sistema de predição de conteúdo integrado ao teclado que analisa o que você está digitando, e para quem, e sugere as próximas palavras. Tudo isso, segundo Craig Federighi, sem enviar informações à Apple, respitando a privacidade do usuário. O recurso tem suporte a vários idiomas, inclusive o Português do Brasil.

O Messages agora pode “silenciar” discussões individuais, e há uma opção para deixar uma discussão. Também ficou mais fácil adicionar mensagens de áudio, imagens e vídeos a uma discussão. E é possível ouvir e responder a mensagens de áudio simplesmente levando o iPhone ao ouvido, sem precisar desbloquear o aparelho.

O iOS 8 também tem novos recursos para o mercado corporativo, e segundo Federighi 98% das empresas da lista Fortune 500 são usuárias do iOS. Com um recurso chamado “Device Enrollment” uma empresa pode configurar um aparelho com informações para acesso ao ambiente corporativo, e até mesmo pré-instalar apps, sem tirá-lo da caixa.

O app “Healthbook”, mencionado inúmeras vezes em rumores antes do evento, se chama Health, e centraliza informações sobre a saúde do usuário em um único local. Desenvolvedores podem usar uma API chamada Healthkit para adicionar informações ao app, e instituições como a Mayo Clinic estão trabalhando em conjunto com a Apple para integrar resultados de exames ao Health.

O Family Sharing permite compartilhar fotos, calendários e lembretes com os outros membros da família, e até mesmo compras de filmes e apps no iTunes e App Store. Um recurso interessante permite que uma criança compre um item na App Store, mas a compra só será aprovada após um pai autorizar a compra em seu aparelho.

O app Photos agora mostra todas as fotos que você já tirou, através de integração com o iCloud, e tem um sistema de busca melhorado. Também há novas ferramentas de edição, permitindo ajustar a luz ou a cor em uma foto simplesmente arrastando um controle na tela. O sistema analisa vários parâmetros da imagem e ajusta os “detalhes técnicos” como brilho, contraste, sombras e destaques automaticamente. Uma foto editada é automaticamente sincronizada com todos os seus aparelhos. O app Photos também terá uma versão para o OS X, que será lançada no início do ano que vem.

O armazenamento de fotos no iCloud será gratuito até 5 GB, custará US$ 0,99 mensais por 20 GB e US$ 3,99 mensais por 200 GB.

O Siri terá suporte a 22 novos idiomas, mas ainda não sabemos se o português estará incluso. Também haverá melhor integração com veículos: ao conectar seu iPhone a um carro, por exemplo, basta dizer “Hey Siri” para usar o recurso, evitando que o motorista se distraia apertando um botão.

Para desenvolvedores

Desenvolvedores também terão novos recursos na App Store. Desenvolvedores poderão adicionar “previews” em vídeo às descrições de seus apps, e fazer “pacotes” de apps com desconto. O TestFlight é um recurso que permitirá que os desenvolvedores dêem aos usuários acesso a versões beta de seus apps, e os resultados serão retornados automaticamente.

O kit de desenvolvimento do iOS (SDK) também trará grandes mudanças, com 4000 novas APIs disponíveis aos desenvolvedores, segundo Federighi. Um recurso chamado Extensibility permitirá que um app ofereça serviços aos outros: por exemplo, o Pinterest poderá se integrar às opções de compartilhamento padrão do sistema, e desenvolvedores poderão criar widgets que se integrarão à Central de Notificações.

Em uma demonstração, um widget do eBay alertou o usuário de que um lance maior foi feito em um leilão, e foi possível fazer um novo lance sem sequer abrir o app do eBay. Em outra, o serviço de tradução do Bing foi usado para traduzir uma página do Safari. Outra recurso há muito pedido estará disponível no iOS 8: a capacidade de trocar o teclado do sistema por um teclado de terceiros. Os teclados não terão acesso à rede, ou seja, não poderão baixar e enviar informações sobre o que é digitado, a não ser que autorizados pelo usuário.

Homekit é uma API para centralizar protocolos e controle de dispositivos domésticos, como portas, lâmpadas, termostatos, câmeras, etc. Os dispositivos poderão ser controlados individualmente, ou agrupados. Um sistema de segurança garante que apenas o iPhone do usuário será capaz de acessar e controlar as luzes da sala, por exemplo.

O iOS terá também uma nova API gráfica chamada Metal, que permite acesso mais direto ao hardware gráfico dos iDevices em comparação com o OpenGL/ES. É algo similar ao que a AMD está fazendo nos PCs com sua API Mantle. Segundo Federighi é possível conseguir até 10x mais chamadas de sistema com Metal do que com OpenGL, e os desenvolvedores também poderão ter acesso à GPU para fins computacionais, e não apenas gráficos. Isso se traduzirá em gráficos ainda mais detalhados e complexos do que é possível hoje, sem a necessidade de upgrade no hardware gráfico.

Ainda não há informações sobre a data de lançamento do iOS 8, nem quais aparelhos serão suportados.

Fonte: Terra

Compartilhar: