Italianos instalam Casa Azurri em Natal antes de duelo com Uruguai

Local é reservado para convidados e será decorado com as conquistas da Itália

Azzuri-2

A capital do Rio Grande do Norte vai ter um pontinho azul cravado no litoral: a Casa Azurri. O espaço é uma espécie de centro de tradições italianas promovido pela Federação Italiana de Futebol, mas reservada para convidados. Em Natal, o Chaplin Recepções foi escolhido para se transformar na casa azul. Segundo o proprietário do estabelecimento, Paulo César Galindo, a abertura da casa vai acontecer amanhã (sábado) e segue aberta até o dia 25 de junho. Durante a tarde e a noite de hoje, será preparada a decoração nas principais cores predominantemente da seleção mediterrânea. “Vai ser uma verdadeira embaixada do futebol italiano em Natal”, classificou Galindo.

De acordo com ele, a Federação já enviou o chefe de cozinha italiano, assim como massas e vinhos que vieram direto do país tetra campeão. “Hoje, ele [o chefe] até foi hoje na Ceasa complementar”, acrescentou.

Há seis meses, os italianos vieram a Natal para verificar a estrutura da cidade e a possibilidade de instalar a Casa Azurri Brasile. A cidade de Mangaratiba, onde a seleção italiana está baseada, também recebeu a casa. A decoração do espaço ressalta o quatro títulos da seleção (1934, 1938, 1982 e 2006) e ídolos da equipe.

A organização desse tipo de estrutura começou a funcionar na Copa de 1998 na França. Desde então, também funcionou como base para os agregados à seleção italiana nas copas seguintes e nas Eurocopas de 2008 e 2012.

Na avaliação de Galindo, Natal não foi escolhida apenas por sediar uma partida decisiva da Azzurra. “Natal é uma cidade que tem muitos italianos, uma colônia muito grande e é uma cidade fortemente turística”, disse. “Também fizemos um trabalho de captação muito bom”, continuou.

A Casa Azzurri deverá receber jornalistas internacionais, autoridades, patrocinadores da equipe italiana, celebridades e também servirá de espaço para eventuais entrevistas coletivas de jogados ou comissão técnica. Conforme o proprietário do Chaplin, cerca de 100 jornalistas italianos utilizarão a estrutura. “A mídia espontânea não tem preço. Isso gera um efeito multiplicador enorme”, pontuou. Além disso, haverá salas para uso dos convidados e serviço refeições o dia inteiro (café da manhã, almoço, jantar e open bar).

Paulo César Galindo afirma que seu estabelecimento está preparado para receber até 600 pessoas em um espaço de 1.800 metros quadrados. “A nossa localização também influenciou nessa escolha, estamos praticamente à beira-mar. E o ambiente é todo climatizado”.

Na opinião dele, os estabelecimento que receberam eventos internacionais durante a Copa do Mundo fortaleceram seu portfólio. “O Chaplin agora está credenciado para qualquer evento internacional. O intercâmbio gastronômico que estamos fazendo também é outro ponto muito importante”, destacou.

Compartilhar:
    Publicidade