Japonês prevenido usa duas carteiras para enganar ladrão na Copa

Uma das carteiras que Shohei Tani carrega tem menor quantia em dinheiro, usada para facilitar entrega

uma-das-carteiras-que-shohei-tani-carrega-menor-quantia-em-dinheiro-usada-para-facilitar-entrega-em-caso-de-assalto-1403144636303_615x470

Antes de deixar o Japão rumo à Copa do Mundo, o jornalista Shohei Tani foi alertado de que correria risco de ser roubado no Brasil. Um programa de TV de Tóquio aconselhou os turistas japoneses a utilizarem duas carteiras em solo brasileiro, sendo uma delas “falsa” para não dificultar em eventual abordagem de um meliante.

O conselho dado em rede nacional no Japão é seguido à risca por Shoei Tani. A carteira de mentira tem menos dinheiro, além de cartão de crédito de menor importância, quantia que não traz grande prejuízo ao dono, mas que pode satisfazer o ladrão.

Em contato com o UOL Esporte, o japonês afirma que chegou a portar três carteiras quando esteve em Itu (local onde o selecionado do Japão realiza seus treinos), início da estada no Brasil.

Agora em Natal, onde acompanhará Japão x Grécia, nesta quinta-feira, Shoei Tani “aposentou” uma carteira, usando duas, uma em cada bolso.

“Falaram bastante no Japão sobre a violência no Brasil. De certa forma ficamos preocupados, porque nós não conhecemos o país. O uso de duas carteiras é uma forma de evitar maiores riscos”, reforçou Tani, que é repórter da TV Fuji.

Alguns turistas japoneses saem para a rua durante a Copa com quatro carteiras, completando os bolsos da bermuda.

No Brasil desde 6 de junho, Tani conta que não enfrentou nenhuma situação de risco, mas teve conhecimento de que turistas japoneses foram assaltados neste período de Copa do Mundo.

Tani está no Brasil pela segunda vez. Sua impressão é a melhor possível: aprovou a conduta do brasileiro e a comida.

“Os brasileiros me receberam muito bem. É um povo alegre e muito caloroso. Além disso, gostei muito da comida feita aqui. É deliciosa”, elogia o japonês.

 

Fonte: Uol

Compartilhar: