Jean Wyllys e Wagner Moura: do selinho em público ao apoio político

Ator e político estudaram juntos durante a faculdade

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Hoje o blog transfere o foco da propaganda eleitoral na TV para a ação de um candidato numa rede social. No caso, a página oficial de Jean Wyllys no Facebook. O deputado federal pelo PSOL do Rio é candidato à reeleição.

Em um post na tarde de segunda-feira (1), o jornalista e escritor contou um episódio pitoresco protagonizado por ele e seu cabo eleitoral mais famoso, Wagner Moura. O ator, que é heterossexual, certa vez surpreendeu Jean Wyllys, militante da causa LGTB, com um selinho em público.

Ao fato: os dois eram colegas na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia. Wagner costumava oferecer carona a Jean, que trabalhava em um jornal.

“Numa dessas caronas, vendo o ponto de ônibus cheio de gente, ele, sem que eu esperasse, na hora de se despedir de mim, em vez de me dar o tradicional beijo no rosto, deu-me um selinho na frente de todo mundo e, em seguida, disse-me “agora segura a onda aí” e partiu às gargalhadas”, relatou Wyllys.

A amizade iniciada na universidade, em Salvador, se fortificou ao longo do tempo. Wagner Moura apoiou a candidatura de Jean Wyllys em 2010 e, nesta eleição, novamente declarou voto ao conterrâneo.

O ator gravou um vídeo, exibido no programa eleitoral do PSOL do Rio. Seu anúncio é o seguinte: “Eu queria falar um pouco do meu amigo Jean Wyllys, que está se candidatando novamente para deputado federal e fez um mandato extraordinário. Fui um dos candidatos mais combativos e respeitados em Brasília. E pra que ele continue essa luta, meu voto é Jean Wyllys 5005″.

Abaixo, a íntegra do post de Jean Wyllys no Facebook, sobre o episódio acima resumido.

“Deixem-me contar algo sobre meu amigo Wagner Moura que eu nunca contei em entrevista alguma. Vocês já sabem que nós – ele e eu – nos conhecemos na Faculdade de Comunicação (FACOM) da Universidade Federal da Bahia. Wagner, que ingressara na faculdade um ano antes de mim, já era ator de teatro; por isso, chegava às aulas matutinas sempre atrasado e de cabelos compridos e cacheados molhados. Fascinava a turma com sua beleza sem artifícios e seu carisma, mas, sobretudo com sua inteligência, humor afiado e engajamento político. Sim, engajamento político; que o envolvimento de Wagner Moura com os debates em torno das questões que interessam à nação não começou com sua atuação em Tropa de Elite. Wagner sempre foi um artista com responsabilidade social, coragem e sem preconceitos (principalmente em relação aos adeptos do Candomblé e à comunidade LGBT). Aliás, seguindo a tendência de seus amigos gays, ele, heterossexual convicto, sempre trocava os pronomes na hora de se referir a si mesmo. Como eu não tinha carro naquela época, às vezes Wagner me dava carona até um ponto onde eu pudesse pegar o ônibus que me levaria ao jornal onde eu já trabalhava. Numa dessas caronas, vendo o ponto de ônibus cheio de gente, ele, sem que eu esperasse, na hora de se despedir de mim, em vez de me dar o tradicional beijo no rosto, deu-me um selinho na frente de todo mundo e, em seguida, disse-me “agora segura a onda aí” e partiu às gargalhadas. Esse é Wagner Moura: um ator talentosíssimo com senso de humor; um homem inteligente que, mesmo se tornando um astro do cinema, não perdeu a humildade; um cidadão que, mesmo tendo feito a mobilidade social, não deixou de se importar com a dor do outro. Por isso é que ele me apoiou em 2010 e, nesta eleição, apóia-me de novo e com orgulho.”

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade