João Maia: “Fernando Bezerra é um bom nome, mas tem que se viabilizar”

Deputado afirma que candidatura de Robinson “não empolga” e coloca Wilma como a “noiva” da próxima eleição

Deputado federal e presidente do PR, João Maia analisou o quadro eleitoral neste início de ano e falou do Fernando Bezerra, de Robinson Faria e de Wilma. Foto: Divulgação
Deputado federal e presidente do PR, João Maia analisou o quadro eleitoral neste início de ano e falou do Fernando Bezerra, de Robinson Faria e de Wilma. Foto: Divulgação

Joaquim Pinheiro
Repórter de Política

O deputado federal João Maia, presidente do PR no Estado, afirmou na manhã de hoje, ao comentar sobre o processo sucessório estadual, particularmente a possível candidatura do empresário Fernando Bezerra ao Governo do Estado pelo PMDB, que o ex-senador e ex-ministro da Integração Nacional é um bom nome, preparado e conhecedor dos problemas do Estado. Porém, precisa andar muito para viabilizar uma candidatura forte e competitiva.

“O candidato tem que se viabilizar. Percorrer o Estado inteiro”, analisou João Maia, acrescentando que tem apreço e admiração por Fernando Bezerra, mas lembrando que o ex-senador está ausente da política há bastante tempo no exercício das suas atividades empresariais.

Segundo João Maia, o Rio Grande do Norte vive uma situação de indefinição no seu processo político-eleitoral, particularmente o PMDB, que continua indefinido sobre o nome que apresentará para disputar o Governo do Estado. “O PMDB está fazendo balão de ensaio”, observou o presidente do PR.

É importante lembrar que essa não é a primeira vez que João Maia critica a indefinição do PMDB, mesmo o PR sendo um tradicional aliado peemedebista e o deputado federal, inclusive, cotado para ser candidato a vice-governador numa chapa encabeçada pelo partido de Fernando Bezerra. Quando anunciou o rompimento do PR com o Governo do Estado, João Maia cobrou uma definição do PMDB, afirmando que os demais partidos não poderiam ficar apenas “esperando” uma definição da sigla.

No entanto, se não é certo ficar só esperando, também não dá para apoiar o único nome colocado como pré-candidato ao Governo do Estado até o momento, o do vice-governador Robinson Faria, do PSD. Segundo João Maia, ela não tem “empolgado” os eleitores. “Robinson é candidato há três anos, mas não empolga”, disse o líder do PR.

Com relação à ex-governadora e atual vice-prefeita, Wilma de Faria, do PSB, João Maia afirmou que o crescimento dela nas pesquisas é consequência da falta de críticos – e de adversários. “Wilma está aproveitando o vácuo com competência. Ela é a noiva dessa eleição e ninguém fala dela porque todo mundo deseja tê-la como aliada”, comparou o deputado do PR.

Na última pesquisa divulgada pela Consult, no final de 2013, a ex-governadora apareceu como o nome mais forte tanto numa disputa para o Senado, quanto para o Governo. Ela venceria, inclusive, do ex-governador Garibaldi Alves Filho, do PMDB.

CANDIDATURA A VICE

O nome do deputado João Maia vem sendo citado nos meios políticos como provável candidato a vice-governador numa composição política com o PMDB. Durante entrevista concedida a uma emissora de televisão da capital o parlamentar assim se posicionou ao ser questionado sobre o assunto: “O PMDB tem uma força muito grande nacionalmente e no Rio Grande do Norte. O PR também é um partido muito grande, com prefeituras em São Gonçalo, Ceará-Mirim, Rodolfo Fernandes, Tibau do Sul, Brejinho, Currais Novos. A gente tem uma aliança preferencial com o PMDB e como somos um partido forte e um partido de grupo, teremos que tomar uma decisão juntos”.

CANDIDATA NATURAL

Sobre uma possível candidatura da governadora Rosalba Ciarlini à reeleição, o deputado João Maia considera “uma candidatura natural”, mas faz questionamentos devido segundo ele, “ao baixo nível de aprovação da atual gestão nas pesquisas de opinião pública”. João Maia diz não entender o fato, mesmo o Estado se encontrando com uma série de obras importantes em execução como o Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, Complexo Maria Lacerda, entre várias outras no interior do Rio Grande do Norte. “Rosalba é esforçada, trabalhadora, mas o seu governo não se encontra”, avalia o líder do PR.

 

Vereador do PR sugere João Maia para governador substituindo nome do PMDB

Adão Eridan, vereador do PR, defende uma aliança política do seu partido com o PMDB, entretanto, entende que os peemedebistas estão demorando muito para anunciar o nome do partido que disputará o Governo do Estado nas eleições deste ano. Segundo ele, os líderes peemedebistas estão aguardando resultados de pesquisas para definir o candidato do partido a governador.

“O PMDB está esperando pelas pesquisas para saber qual é o nome mais forte”, acredita o vereador, acrescentando que se essa indefinição continuar o PR se propõe a apresentar o nome do deputado João Maia para ser o candidato ao Governo do Estado. “Se o PMDB continuar indefinido existe uma alternativa dentro da nossa aliança política que é o deputado João Maia, um político preparado que conhece o Rio Grande do Norte e poderá realizar um bom trabalho para colocar o Estado no caminho do desenvolvimento”, disse ele, lembrando que a vez é do PMDB, mas o partido está indefinido e decisão não pode mais demorar.

O vereador Adão Eridan, ao ser instado a falar sobre a disputa para o Senado, diz defender um entendimento com partidos como PMDB/PR/PSB/PROS/PT. “Esses partidos devem se unir para eleger a futura senadora que poderá ser Wilma de Faria ou Fátima Bezerra”, sugere, acrescentando que para definição do nome para o Senado os partidos devem promover pesquisas de opinião pública e quem conseguir o primeiro lugar seria candidata ao Senado com apoio das demais lideranças. Concluindo, ele sugere que se o PMDB decidir apresentar um nome para o Governo do Estado, o PR poderá participar da chapa através do deputado João Maia ou do empresário Marcelo Alecrim. (JP)

 

Prefeito do PMDB afirma: “Partido pecou por não ter lançado logo uma candidatura”

O prefeito de Caicó, Roberto Germano, é um dos mais populares lideranças políticas do interior do Estado. E é, também, uma mostra viva de que a decisão do presidente do partido no RN, Henrique Eduardo Alves, de adiar o lançamento do nome do candidato ao Governo que o partido lançará neste ano, não é unanimidade. Para Roberto Germano, essa indefinição só favoreceu o crescimento do nome da ex-governadora Wilma de Faria.

“Wilma esteve um pouco esquecida. O PMDB pecou por não ter lançado logo uma candidatura ao governo do estado, não ter definido um nome e ter preparado um nome para ser candidato a governador. Teve a avaliação de Rosalba. Wilma viu esse espaço aberto e ocupou. No inicio tímida, mas ela começou a ter receptividade positiva e se jogou de cara e com um projeto. Inicialmente a deputada federal, depois a senadora e agora até a governadora. É inegável que ela é bem avaliada, mas faltam dez meses para as eleições. Na minha opinião, ela se elege ao que quiser, já que deixaram ela muito solta”, afirmou Roberto Germano em entrevista ao blog da jornalista Suerda Medeiros, de Caicó.

O prefeito caicoense também mostrou que, assim como os demais peemedebistas, também está “sem saber para onde vai” em 2014. “Tenho que aguardar uma definição do meu partido, o PMDB. Sem deixar de observar os companheiros que estiveram conosco em nossa campanha. Há uma tendência de continuar com uma aliança com o PT, com a reeleição da presidenta Dilma. Quanto ao Senado ainda nada definido. Para governador o partido entende que deve lançar nome próprio, fazendo aliança para vice-governador, senador. Para deputado federal temos compromisso com Henrique Eduardo Alves”, analisou.

De qualquer forma, o prefeito defendeu uma aliança entre o PMDB e o PR para a chapa majoritária, possivelmente, inclusive, com o nome do deputado federal João Maia como vice-governador. “Aqui em Caicó tem companheiros dentro do partido que tem compromisso com o deputado João Maia, que é daqui e nosso grupo ficará dividido entre Henrique e João Maia. O PR e o PMDB são parceiros e devem estar juntos defendendo as mesmas candidaturas. Não teremos nenhuma dificuldade em manter esse entendimento aqui em Caicó. João Maia é da terra, tem feito muito em Caicó e no Seridó”, analisou. (CM)

 

Compartilhar: