João perdoou

O perdão não é para qualquer um. E, como dizem muitos, não adianta apenas dizer da boca para fora. É…

O perdão não é para qualquer um. E, como dizem muitos, não adianta apenas dizer da boca para fora. É preciso ser superior, entender as injustiças, aceitar as críticas e passar por cima de tudo, para buscar a reconciliação. Perdoar é para poucos.

João Faustino perdoou. Como se o destino lhe quisesse deixar livre dos males que só a mágoa e o ódio mantêm vivos, conseguiu publicar em livro, sua própria versão sobre a operação Sinal Fechado, do Ministério Público, na qual acabou sendo preso.

Na obra, relembrava alguns fatos sobre o qual foi acusado; uma investigação que até hoje não publicou provas do seu envolvimento. Não poupou críticas aos promotores nem a imprensa, responsável pelo que classificou como “a destruição de sua honra e de sua família”.

Mas, apesar de tudo, João perdoou. Seguiu, na verdade, a mesma linha que sempre manteve em toda a sua vida pública, onde se destacou por sua habilidade de articulação na política, sempre mantendo bom relacionamento com todos os seus principais personagens.

Em 2010, quando ocupou por poucos meses a função de Senador da República em substituição a Garibaldi Filho, do qual era primeiro suplente, João Faustino se despedia para sempre, mesmo sem saber, da política.

Deixou como legado, deste seu último trabalho, um projeto voltado para o fim da chamada “farra das pesquisas”. Pelo pouco tempo que passou no cargo – cerca de 3 meses – e pelo fato da maioria da classe política ser contra a matéria, certamente o projeto será mantido nas gavetas do Congresso.

A este colunista, ainda como repórter, João Faustino atendeu por diversas vezes, sempre solicito a toda e qualquer entrevista. Não costumava fugir nem mesmo dos fatos mais difíceis, embora o tempo estivesse lhe deixando cada vez mais afastado de novos desafios.

Sem João, o RN perde uma de suas figuras mais importantes do cenário político nos anos 80 e 90. Sai da vida o político e deixa para a história sua dedicação a melhorias do sistema público brasileiro, ainda longe de atingir o nível um dia desejado por Faustino.

 

LUTO
A notícia da morte repetina do ex-deputado e ex-senador João Faustino pegou o mundo político potiguar de surpresa. As lamentações foram muitas desde o início da manhã. Entre elas, a do ex-governador de São Paulo, José Serra, com quem mantinha longa amizade. Rosalba Ciarlini, Garibaldi Filho e Henrique Alves também já se pronunciaram.

DESPEDIDA
Por falar na governadora, ela foi uma das primeiras autoridades do Estado a ir ao velório de João Faustino, prestar sua solidariedade a família. Bastante abalado, o deputado Gustavo Fernandes, sobrinho de João, também chegou cedo ao cemitério Morada da Paz, assim como Raimundo Fernandes. O secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Sílvio Torquato, também esteve por lá.

POLÍTICA
Com o falecimento de João Faustino, até então primeiro suplente do senador José Agripino Maia (DEM), a vaga passa a ser ocupada pelo presidente estadual do PSDB, o advogado Valério Marinho, segundo suplente. João atualmente era o presidente de honra tucano no Rio Grande do Norte. O partido também divulgou nota de pesar após a confirmação da morte.

APURAÇÃO
A imprensa nacional está de olho no andamento das obras de mobilidade previstas para a Copa do Mundo, não apenas em Natal mas em todas as demais cidades que receberão os jogos do evento, a partir de junho. No alvo, a suspeita de que muitos projetos podem não ficar prontos a tempo. Na capital potiguar, foco nos acessos do novo aeroporto e nas intervenções ao redor do Arena das Dunas.

OPORTUNIDADE
O Centro Universitário do Rio Grande do Norte (UNI-RN) está com processo seletivo aberto visando à contratação de professores para os cursos de Nutrição e Psicologia. As inscrições devem ser feitas pessoalmente ou por procuração até esta sexta-feira (10) na Central de Atendimento do UNI-RN, no horário das 8h às 21h. A universidade fica localizada na rua prefeita Eliane Barros, nº 2000, bairro Tirol, Natal-RN. Mais informações no telefone 3215-2918.

ESPAÇO DO LEITOR
A leitora Ana Dalva manda e-mail para a coluna reclamando de um problema antigo na rua Valter Fernandes, onde mora. Segundo ela, um poste de luz localizado na via mais parece um “vaga-lume” – fica acendendo e apagando o tempo inteiro. O poste já foi alvo de vários consertos e até agora continua igual.

SORTE
O Tribunal de Contas do Estado, pelo critério de rodízio, através de sorteio, designou o conselheiro Gilberto Jales como relator das contas do governo do estado, referente ao exercício de 2013. Apenas três conselheiros participaram do sorteio: Adélia Sales, Gilberto Jales e Poti Júnior, já que os outros pares já tinham participado de relatorias anteriores. Jales foi indicato para o TCE no ano passado pela governadora, após ocupar vaga em seu secretariado.

FUTEBOL
O time sub-20 do Alecrim foi derrotado novamente pela Copa São Paulo de Futebol Júnior, dessa vez pelo Criciúma-SC, por 3 a 1. A derrota elimina o time potiguar da competição, apesar de ainda ter mais um jogo a cumprir. Fica o aprendizado para as próximas oportunidades. O Alecrim não desiste nunca.

 

GIRA MUNDO

Em meio a toda a confusão que se formou em torno da construção da barragem de Oiticica, este colunista descobriu revista produzida pelo deputado estadual Nélter Queiroz (PMDB), distribuída em toda a cidade de Jucurutu. O documento, que mostra na capa o próprio Nélter ao lado do pai e do filho, em frente a obra citada, tenta mostrar que o projeto é fruto do trabalho do parlamentar, realmente um antigo defensor da iniciativa. Dentro da revista, matérias só faltam dizer que a família é a “dona” da barragem, além de citar o empenho da governadora Rosalba Ciarlini em viabilizar o projeto.

Compartilhar:
    Publicidade