Jogadores brasileiros do Shakhtar se recusam a voltar para a Ucrânia

A Federação Ucraniana de Futebol (FFU) não aceitou retardar o início do campeonato nacional, previsto para começar no dia 25 de julho, apesar da situação do país

Jogadores estão preocupados com a violência no país. Foto: Divulgação
Jogadores estão preocupados com a violência no país. Foto: Divulgação

Seis jogadores do Shakhtar Donetsk, entre eles quatro brasileiros, e um jogador do Metalist Kharkov se recusaram a voltar para a Ucrânia em função da crise política no país, anunciou a imprensa local neste domingo.

Os brasileiros Alex Teixeira, Fred, Douglas Costa e Dentinho, além do argentino Ferreyra, todos do Shakhtar, não quiseram pegar o avião de volta para a Ucrânia após vencerem um amistoso contra o Lyon (4-1) na França, afirmou a agência de notícias ITAR-TASS.

“Não quero comentar a situação por enquanto”, declarou o gerente de futebol do Shakhtar, Sergei Palkin, de acordo com o site Tribuna.

Em seu site na internet, o atual campeão ucraniano anunciou a chegada da equipe a Lviv (oeste do país), onde o clube disputará a Supercopa da Ucrânia contra o Dínamo Kiev. Uma foto de alguns jogadores desembarcando do avião ilustra a matéria, na qual nenhuma referência aos jogadores desertores é feita.

No Metalist Kharkov, o meia argentino Sebastian Blanco não se reapresentou ao clube após a pré-temporada na Áustria, anunciou a agência E-Sport.

“Após o acidente do avião da Malaysia Airlines, não tenho intenção de voltar a Ucrânia. A situação lá é anormal. Decidi ficar em Buenos Aires”, explicou Blanco.

A Federação Ucraniana de Futebol (FFU) não aceitou retardar o início do campeonato nacional, previsto para começar no dia 25 de julho, apesar da situação do país.

“O país inteiro chora diante da tragédia que o assola. É terrível, mas isso não afetará o início do campeonato. Insistimos que o futebol precisa ficar de fora da política”, disse o assessor de imprensa da FFU, Pavel Ternovoi.

Fonte: Terra

Compartilhar: