No Jornal Nacional, Patrícia Poeta vira alvo de Marina Silva

Quem esperava pela ‘Marininha paz e amor’ foi surpreendido por uma Marina combativa

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Na quarta-feira (27), a entrevista de Marina Silva no ‘Jornal Nacional’ já começou diferente devido ao visual da candidata do PSB. Um novo penteado — com mais volume no alto da cabeça — deixou a ex-senadora menos formal.

A roupa escolhida seguiu seu tradicional estilo étnico: blusa branca de confecção artesanal com detalhes de estampa africana. Já a maquiagem estava mais forte, encobrindo as olheiras e deixando a ex-senadora com aspecto rejuvenescido.

Mas quem esperava pela ‘Marininha paz e amor’ foi surpreendido por uma Marina combativa. Com um verniz de delicadeza e um sarcasmo disfarçado, a candidata do PSB tentou desconcertar Patrícia Poeta em um momento da conversa.

Após seis minutos monopolizados por William Bonner, que insistiu em ter esclarecimentos sobre a ilegalidade do avião usado na campanha, a apresentadora questionou por que o eleitorado do Acre, estado natal de Marina, a deixou em terceiro lugar na eleição presidencial de 2010.

Insatisfeita com a resposta, Patrícia Poeta cutucou: “Não seria como se os acrianos estivessem dizendo uma variação daquele velho ditado ‘quem não a conhece que vote na senhora’?”

Seguiu-se um toma lá dá cá entre a jornalista e a candidata:

Marina: — Talvez você não conheça bem a minha trajetória.

Poeta, com um riso de incômodo: — Conheço, conheço, conheço, candidata. Nós estudamos bastante antes de fazer essa entrevista.

Marina: — Mas eu faço questão de dizer porque eu acho que você tem um certo desconhecimento do que significa ser senadora vindo da situação que eu vim.

Trocando em miúdos, a presidenciável insinuou não apenas uma, mas duas vezes, que Patrícia Poeta não estaria suficientemente informada para confrontá-la em relação ao seu histórico político e aos meandros do estado do Acre. Para usar um termo feminino, foi uma saia justa na bancada do ‘JN’.

Poeta estava no papel que lhe cabe: questionar, confrontar, recusar respostas evasivas. A pergunta sobre a desaprovação de Marina no Acre foi baseada em estatísticas eleitorais. Em nenhum momento pareceu haver a intenção de menosprezar a candidata.

Em outro momento, quando Bonner disse não estar claro como Marina lida com as diferenças de pensamento entre ela e seu vice na chapa, Beto Albuquerque, a candidata deu um chega pra lá: “Não está claro pra você, mas eu vou deixar claro para o telespectador. Mais uma vez eu insisto: você está apenas com um lado da moeda”.

Com aquela voz calma e pausada, Marina Silva foi a presidenciável que mais contestou as perguntas feitas por Bonner e Patrícia Poeta na série com os principais candidatos. Mais até do que a presidente Dilma.

‘Marininha paz e amor’ é coisa do passado.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade