Jornalista é confundido com onça pintada e morre com tiro na nuca

O inquérito será conduzido pela Delegacia de São Felix do Araguaia e tem 30 dias para ser esclarecido

Y45Y45Y42Y22

O jornalista Calixto Guimarães, 54, morreu na tarde de segunda-feira (15) no Distrito de Espigão do Leste, região de São Felix do Araguaia, ao ser atingido por um tiro disparado por um amigo da vítima, identificado apenas por Joaquim. Ambos caçavam porco do mato, quando houve o disparo, que atingiu a nuca do jornalista. A Polícia Civil avalia que possivelmente Guimarães foi confundido com uma onça.

O delegado que investiga o caso, Rogério da Silva Ferreira, da Delegacia Regional de Alto Boa Vista (distante 1.100 km de Cuiabá) foi avisado da morte de Calixto pelo irmão da vítima, que sustentou a tese de tiro acidental. O crime aconteceu nas terras da Fazenda Matão, distante 90 km de Alto Boa Vista.

De acordo com o delegado, ainda é muito cedo para falar sobre definição do caso, até mesmo porque o suspeito fugiu do local. “Fomos avisados que um rapaz tinha matado o amigo por enquanto. Na fazenda, o irmão da vítima sustentou que o Joaquim confundiu o Guimarães com uma onça e acabou matando o amigo”, contou o delegado.

O tiro, disparado de uma espingarda calibre 28, acertou a nuca do jornalista e varou na boca. Ele ficou caído na mata e Joaquim está foragido. Se for localizado deve responder por porte ilegal de arma, homicídio culposo e crime ambiental, já que é proibido todo tipo de caça.

O inquérito será conduzido pela Delegacia de São Felix do Araguaia e tem 30 dias para ser esclarecido. O corpo do jornalista foi para o Instituto Médico Legal da cidade e hoje foi liberado para o sepultamento que deve acontecer em Goiânia.

 

Fonte: Hiper Notícias

Compartilhar:
    Publicidade