Jose Aldo bateria Barão e pode bater recordes de Anderson Silva

Antes de ser derrotado para TJ Dillashaw, Barão ouviu do amigo José Aldo, dicas para se manter campeão por muito tempo

José Aldo. Foto: Divulgação
José Aldo. Foto: Divulgação

Quando José Aldo lançou a joelhada que apagou Chad Mendes a um segundo do fim do round 1, no confronto entre os dois em 2012, o mundo se curvou aos seus pés junto com o americano que desabava inconsciente. Até o mais cético torcedor passou a ver Aldo como alguém quase invencível, o cara ser batido, o maioral.

De lá pra cá, Aldo seguiu derrotando quem aparecesse pela frente. Foram mais três vitorias. Mas não da mesma maneira avassaladora que costumava aniquilar os adversários e como aniquilou Chad Mendes. Muita gente passou a questionar se Aldo era mesmo isso tudo. Ele até teve que vir a publico explicar que para se manter campeão as vezes é preciso recuar, contra-atacar e vencer sem se arriscar tanto. O mesmo Aldo da época em que rasgava o ar com joelhadas voadoras capazes de pôr até um mamute para dormir, só mais responsável por carregar no ombro o peso e a pressão de ser um grande campeão.

Se Renan Barão tivesse escutado aos conselhos do amigo e parceiro de treinos Jose Aldo talvez ainda estivesse com o cinturão de campeão dos galos. Antes de ser derrotado para TJ Dillashaw, Barão ouviu do amigo dicas para se manter campeão por muito tempo. Uma delas era não partir com tanta sede pra cima dos rivais, como de costume. Adotar uma estratégia de luta que acabaria deixando os duelos mais longos e mais seguros.

Poucas semanas depois, Barão acabou derrotado pela primeira vez depois de 32 vitorias. Aldo não queria mudar o estilo de luta do colega, como não mudou de estilo como alguns críticos alegam, queria apenas que Barão não se precipitasse em tentar impor o jogo dele já nos rounds iniciais. Mas não foi ouvido por Barão e nem é compreendido pelos que o criticam.

Aldo nunca deixa de evoluir e segue sendo um atleta que está um degrau acima dos oponentes. Ele estava com luta marcada mais uma vez contra Chad Mendes, mas se machucou e acabou cortado. Quando esse duelo acontecer, se realmente acontecer, não esperem um combate curto como no primeiro encontro entre eles. Mas Aldo deve mais uma vez vencer para se manter como um dos lutadores mais vitoriosos da história do MMA. Se enfrentasse o colega Rena Barão, Aldo também o venceria. E ele tem qualidade e inteligência para subir de peso e se tornar campeão dos leves. Aldo é um mito em construção e não me surpreenderei se um dia ele bater os recordes de Anderson no UFC.

Fonte: O Globo

Compartilhar:
    Publicidade