Juiz eleitoral proíbe Cláudia Regina de fazer campanha na TV e rádio, e agora, na internet

Herval Sampaio também proíbe campanha pela internet da ex-prefeita, que já está fora do programa eleitoral

65U56UI65U45RURTU

Ciro Marques

Repórter de Política

Cláudia Regina, do DEM, está cada vez mais fora da eleição suplementar de Mossoró. Depois de ser proibida de fazer campanha nas ruas, a ex-prefeita mossoroense também não poderá nem se manifestar nas redes sociais e internet de forma direta ou indereta sobre o pleito. O despacho foi publicado nesta sexta-feira (18), pelo juiz da 33ª zona eleitoral, Herval Sampaio, o mesmo que desconheceu o pedido de registro de candidatura dela.

E, responsável por tantas restrições a Cláudia Regina, Herval Sampaio poderia estar preocupado com as críticas feitas pela postura dele, certo? Errado. Tanto que na decisão que indeferiu a candidatura de Larissa Rosado, do PSB, o magistrado até se manifestou e disse não estar ligando muito para as reclamações que tem recebido do grupo de Cláudia Regina.

“E não se diga que o mesmo direito não foi observado à outra candidata, a qual com certeza seremos criticados pelo grupo político e militantes contrários, por supostamente não se observar tal direito a outra candidata, o qual sinceramente não estamos preocupados, pois sempre nos cabe aplicar a Constituição e as leis do país”, afirmou Herval Sampaio, acrescentando que Cláudia Regina “claramente deu causa a nulidade das eleições e as suas inelegibilidades se amoldam especificadamente ao previsto na lei de inelegibilidades, bem assim o peculiar fato de que a reversão de sua situação jurídica é bem mais difícil do que a requerente (Larissa Rosado), o que também deve ser considerado, já que se repita existem atualmente 22 condenações, podendo se chegar a 24 a nível de primeira e segunda instância, por vários fatos ilícitos, situação totalmente distinta da requerente”.

A explicação aos apoiadores de Cláudia Regina na sentença contra Larissa Rosado foi necessária porque, apesar das duas estarem inelegíveis segundo a lei das eleições, a democrata está em situação mais grave porque deu origem a um novo pleito, sendo assim, está vetada pela resolução que marcou a eleição suplementar. Foi por isso que não teve o registro de candidatura sequer reconhecido e não pode nem fazer campanha.

“Não se pode querer tratar igualmente situações que indiscutivelmente são diferentes e mesmo adotado o procedimento comum a ambas as candidatas, justamente, porque quanto à inelegibilidade há semelhança, existem peculiaridades que precisam ser enfrentadas com o rigor necessário”, explicou o magistrado.

FORA

E, com o passar do tempo, ao que parece, Cláudia Regina vai ficando cada vez mais fora da eleição suplementar. Primeiro, teve o registro julgado desconhecido por Herval Sampaio. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou um mandado de segurança e uma liminar pedida pela defesa da ex-prefeita, mantendo a decisão da primeira instância e anunciou que se pronunciará sobre o recurso apenas na próxima semana.

Enquanto isso, Cláudia Regina não pode fazer campanha nas ruas, está fora do programa eleitoral gratuito que começa a ser veiculado nas TVs e rádios mossorenses e, agora, também está proibida de se manifestar pelo Twitter e Facebook com o intuito de campanha eleitoral de maneira “direta ou subliminar”.

Compartilhar: