Juiz libera garoto de 12 anos que estuprou irmã de 7 após assistir pornografia

Em uma declaração, o infrator disse que estava "enojado" com suas ações e prometeu que não iria acontecer novamente

Um jovem de 12 anos de idade, que estuprou sua irmã de sete anos, depois de assistir a filmes pornográficos em um console de jogos Xbox, está livre de acusações. Foto:Divulgação
Um jovem de 12 anos de idade, que estuprou sua irmã de sete anos, depois de assistir a filmes pornográficos em um console de jogos Xbox, está livre de acusações. Foto:Divulgação

Um jovem de 12 anos de idade, que estuprou sua irmã de sete anos, depois de assistir a filmes pornográficos em um console de jogos Xbox, está livre de acusações.

Ainda que tenha admitido estuprar e assediar sexualmente a menina, o estudante,  que não teve o nome revelado, está perto de voltar para sua família.

O juiz do caso disse que não queria desfazer os laços familiares, e uma declaração da vítima disse que ela “amava” o irmão dela e queria que ele voltasse para que eles pudessem brincar juntos. Os assistentes sociais irão trabalhar agora com o jovem para devolvê-lo à família nos próximos meses.

O tribunal ouviu que o menino tinha visto pornografia na companhia de seus amigos antes e desenvolveu “um desejo de experimentar”. Ele cometeu uma série de crimes sexuais contra sua irmã, entre março e maio do ano passado, mas os assuntos só vieram à tona agora.

O menino, agora com 13 anos, se declarou culpado de uma acusação de estupro, duas acusações de atentado ao pudor e uma acusação de incitar uma criança a se envolver em atividade sexual.

Em uma declaração, o infrator disse que estava “enojado” com suas ações e prometeu que não iria acontecer novamente.

Graeme Parkinson, advogado de defesa do caso, disse que o menino não tinha condenações anteriores e não havia demonstrado qualquer indício de ofensa a sua irmã.

O garoto foi entrevistado pela polícia sem um advogado presente em outubro do ano passado e fez admissões completas e francas, antes de finalmente se declarar culpado na primeira oportunidade disponível “tendo em conta o trauma que causou a ele e aos membros de sua família”, disse o advogado.

O juiz distrital James Prowse afirma que será “uma trajetória complicada” para seus pais, que também estão enfrentando o abuso sexual de sua filha, mas ele disse que se sentiam confiantes em superar a situação.

Fonte:R7

Compartilhar: