Lais já respira sem aparelhos, sai da UTI e vai para unidade semi-intensiva

Brasileira está internada desde o dia 27 de janeiro, quando se acidentou durante os treinos de esqui. Segundo os médicos, estado de saúde da atleta é estável

Lais Souza treinava para tentar ir às Olimpíadas quando se acidentou. Foto:Divulgação
Lais Souza treinava para tentar ir às Olimpíadas quando se acidentou. Foto:Divulgação

A brasileira Lais Souza deixou nesta quinta-feira a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Jackson Memorial, da Universidade de Miami, e foi transferida para a Unidade Semi-intensiva. De acordo com os médicos, ela ainda tem uma traqueostomia conectada a oxigênio, mas respira sem necessidade de ventilação mecânica e seu quadro é estável.

A ex-ginasta está internada desde o dia 27 de janeiro, quando sofreu um acidente durante os treinos de esqui em Park City, Utah. Ela bateu em uma árvore e sofreu uma grave lesão na coluna cervical. Assim como Josi Santos, a esquiadora aguardava a confirmação de sua vaga para a prova de esqui aéreo das Olimpíadas de Inverno de Sochi. Josi foi à Rússia e competiu em homenagem à amiga.

Ainda em Utah, Lais foi submetida a uma cirurgia. Não mexia braços e pernas. No dia 5 de fevereiro, foi transferida para o hospital da Universidade de Miami para ser tratada no “The Miami Project to Cure Paralysis”. Lá, conseguiu mover os ombros e mostrou sensibilidade na parte superior do braço e do tórax.

“A primeira grande vitória é conseguir respirar sozinha. A Lais ainda tem uma traqueostomia conectada a oxigênio, mas está conseguindo respirar sem se cansar. Nessa nova etapa do tratamento, vamos dar ênfase à manutenção dessa capacidade e à recuperação da parte hemodinâmica. Ela tem uma pequena válvula acoplada à traqueostomia, que permite a ela falar normalmente. A Lais surpreende e emociona a toda a equipe de saúde diariamente, com sua determinação e pensamento positivo. Lais é a paciente mais forte que eu já tratei” – afirma o Dr. Antonio Marttos Jr, médico do Time Brasil e da Universidade de Miami.

Fonte;Globo.com

Compartilhar: