Líder Libanês, Gaddaffi manteve cabeça de inimigo em freezer por 25 anos

Além da cabeça, ele guardou corpos de inimigos congelados e construiu um quarto para manter relações sexuais com alunas de universidade

Muammar Gaddaffi em março de 2008: ditador teria guardado restos mortais de opositores por mais de 20 anos e teria mantido relações sexuais com alunas de universidade. Foto: Divulgação
Muammar Gaddaffi em março de 2008: ditador teria guardado restos mortais de opositores por mais de 20 anos e teria mantido relações sexuais com alunas de universidade. Foto: Divulgação

O ex-líder da Líbia Muammar Gaddaffi guardava a cabeça de um dos seus maiores inimigos em um freezer – além de partes de corpos de opositores, segundo um documentário do diretor britânico Christopher Oligiati. As informações são do Daily Mail.

De acordo com as evidências captadas pela equipe de pesquisa do longa-metragem, Gaddaffi, morto em 2011 por rebeldes de seu país, manteve os restos mortais dos inimigos por mais de 25 anos e teria visitado o local por diversas vezes para “conferir os trabalhos realizados”.

Além do freezer, Gaddaffi também teria construído um calabouço na Universidade de Trippoli onde mantinha relações sexuais com as alunas. Segundo o documentário, o quarto tinha cama, banheira de hidromassagem e uma sala onde as mulheres passavam por exames para conferir se não possuíam alguma Doença Sexualmente Transmissível (DSTs).

As revelações dos segredos do líder da Líbia fazem parte do longa-metragem “Mad Dog: Inside the Secret World of Muammar Gaddafi (Cachorro louco: dentro do mundo secreto de Muammar Gaddaffi, em tradução livre)”, dirigido por Oligiati, lançado em seu na Grã-Bretanha na última sexta-feira.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade