LIDERANÇA – Túlio Lemos

O prefeito Carlos Eduardo está incomodado com o tratamento que o PDT está recebendo da cúpula do acordão. Essa situação…

O prefeito Carlos Eduardo está incomodado com o tratamento que o PDT está recebendo da cúpula do acordão. Essa situação revela a posição secundária e equivocada que o filho de Agnelo tomou neste pleito. Deixou a condição de líder para a de liderado.

PASSADO

Carlos Eduardo foi corajoso ao romper com a família Alves e construir sua própria história política, sem apadrinhamentos ou utilização de sobrenomes oligárquicos. Derrotado em sua aventura de candidato ao Governo, sem mandato, tinha tudo para aceitar o convite dos primos Garibaldi e Henrique e se filiar ao PMDB para ser candidato a prefeito de Natal. Não aceitou.

MUDANÇA

Com a negativa de Carlos Eduardo em assinar a ficha de filiação no PMDB, os primos Alves escolheram um candidato para combatê-lo nas urnas e nos tribunais. Tentaram torná-lo inelegível; não conseguiram e foram derrotados. A vitória de Carlos Eduardo foi maiúscula. Seu nome estava tão forte que ele se deu ao luxo de ‘esconder’ sua vice, Wilma de Faria, quando o PMDB passou a vincular os escândalos da ex-governadora à sua chapa.

VITÓRIA

Vencido o pleito sem contestação, Carlos Eduardo consolidou sua liderança no maior colégio eleitoral do Estado, sem apoio da família e até transformando a então maior eleitora da capital, Wilma de Faria, em coadjuvante do processo.

PRESENTE

Em 2014, o prefeito Carlos Eduardo faz uma escolha que termina negando a construção de um novo caminho. Ao invés de apoiar as candidaturas de seus aliados, que combatem o acordão, preferiu voltar ao seio da família Alves, compartilhar o palanque das oligarquias e fraturar seu discurso de independência. Sofreu para construir algo que seria destruído por uma opção equivocada.

FUTURO

O principal problema na atual escolha do prefeito Carlos Eduardo é que ele não será vencedor em nenhuma circunstância. Caso Henrique Alves seja eleito governador, será o líder da família e do Estado, sem espaço para possibilidade de crescimento do primo; se Henrique perder, Carlos Eduardo será um dos pais da derrota.

DISPUTA

A coluna recebeu e-mail do deputado Antonio Jácome: “Caro Túlio, fiquei surpreso com o comentário na coluna de ontem, 19 de maio, sob o título DISPUTA II. Venho, através deste email, repor a verdade dos fatos. Primeiramente, não sou adversário do Vereador Albert Dickson, pelo contrário somos colegas e irmãos. Segundo, não tenho tempo, nem minha formação permite espalhar “boatos”. Terceiro ponto, o que foi veiculado na imprensa afirmava que a ação corresponderia a distribuição de óculos. E por último, espero que o Dr. Albert esclareça tudo, e possa continuar seu profícuo trabalho como médico e parlamentar”.

AMOR

Em forma de homenagem ao amigo Miguel Josino, a coluna transcreve a mensagem da esposa dele, Karla Motta: “No final da tarde de ontem entrei em uma esfera surreal da existência. Um dia feliz, um churrasco caseiro, um escorregão, o fim do mundo. O grande amor da minha vida partiu sem se despedir. Ele sabia que eu não gostava que saísse sem me dar um beijo. Mas foi sem querer, tenho absoluta certeza”.

ETERNO

Segue a mensagem de Karla Motta: “As dezenas de planos que traçamos para este e os próximos anos das nossas existências não comportavam tamanha deserção. Miguel, meu Mi, meu amor, aquele cujo amor me arrebatou, foi arrebatado. E fico eu em pedaços, fragmento de pessoa, caixa de lembranças felizes e ricos aprendizados. Sinto-me em transe. Por vezes a dor transborda em lágrimas e lamentos. Há uma enchente represada. Sinto com maior consciência uma profunda gratidão pelo que vivemos e aprendemos juntos. Foi muito bom. Foi muito. Mas foi pouco…”

HOJE

Karla Motta escreveu outra mensagem hoje, dia de seu sepultamento: “Os amores verdadeiros entre um homem e uma mulher são raros. Pelo que converso com minhas amigas e conhecidos, são para poucos. Eu fui abençoada por Deus com um amor assim. Miguel e eu vivemos um amor intenso, imenso, maior que nossas diferenças, maior que nós e que os outros, maior que tudo. Vivemos uma verdadeira história de amor, da qual ele partiu sem aviso prévio, deixando-me mal acostumada com tantos cuidados que tinha para comigo e para com nossa família”.

AUSÊNCIA

A esposa de Miguel Josino conclui: “Sinto-o aqui, ao meu lado em nossa cama, abraçando-me com seu corpo quente, acariciando-me com sua mão macia e me declarando amor com sua voz suave. Essas bênçãos eu as tinha como garantidas. Não há garantias. Meu amor partiu e me deixou partida, destroçada, despedaçada sem ele aqui. Vivam seus amores agora, meus amigos.”

Compartilhar:
    Publicidade