Lojas instaladas próximo ao estádio Arena das Dunas fecham as portas

Nos próximos meses as duas vias da Prudente de Morais sejam interditadas, prejudicando os pequenos lojistas

Lojistas relatam que obras de mobilidade diminuíram frequência de clientes. Alternativa é sair do local ou se adequar às interdições. Foto: Divulgação
Lojistas relatam que obras de mobilidade diminuíram frequência de clientes. Alternativa é sair do local ou se adequar às interdições. Foto: Divulgação

Enquanto uns comerciantes decidiram fechar as portas, outros estão buscando meios alternativos de manter a sua clientela. Esse é o problema que vem sendo enfrentado pelos lojistas que estão instalados na Avenida Prudente de Morais, próximos às obras do Arena das Dunas e de mobilidade urbana. As interdições na região impedem um maior fluxo de pessoas e, por isso, empresários sentem a queda no faturamento.

Hoje, enquanto a reportagem passou pelo local, foi possível observar três lojas fechadas e duas com anúncios de aluguel. As que permaneceram em funcionamento normal projetam diminuição de aproximadamente 30% nos lucros. Estabelecimentos como aluguel de roupas e de artigos femininos registraram diminuição da frequência entre 20% a 40%.

Wellington Costa, gerente de uma loja que trabalha com compras e vendas de cabelo, contou que está em mudança. “Ainda não saí daqui porque estou esperando terminar a reforma do outro espaço locado. Aqui, certamente, não dá para continuar”, disse. Segundo ele, além do trânsito estar um caos na região, impedindo o fluxo de carros e pessoas, a visibilidade da loja diante equipamentos de obras também foi prejudicada.

“Sem movimentação, a loja não é vista. E é obvio que nós precisamos de novos clientes. Se os que já frequentavam nossa loja não estão vindo mais, imagina quem ainda não nos conhece”, avaliou. “Já que ninguém faz nada por nós, temos que buscar alternativas. A minha é sair daqui. Até a primeira quinzena de janeiro estarei em outro endereço”, disse.

Apesar de concordar com os prejuízos citados, a comerciante Celita Dantas, que revende artigos esportivos há mais de três anos no mesmo local, informou que o problema em si não é causado pelas interdições de obras.

“O problema está nas autoridades que vão para a mídia e pedem que as pessoas evitem esses trechos. Sinceramente, ainda não vi problemas de acesso aqui. A frequencia diminuiu sim, pois as pessoas ficam receosas. Mas se eu consigo chegar até aqui, todo mundo consegue. Tem saída por outras ruas”, contou

As obras de mobilidade no entorno do Arena, até o momento, não chegaram a interditar grandes trechos. Mas a tendência é que nos próximos meses as duas vias da Prudente de Morais sejam interditadas, prejudicando mais ainda os pequenos lojistas.

“Eu sou contra a construção desse estádio porque sei que a população de Natal não precisa dele. As pessoas estão morrendo sem ter direito à saúde; estão andando nas ruas sem qualidade no transporte; e estão jogando lixo nas ruas por falta de educação. Porém, mesmo sem concordar com isso tudo, vou precisar me adaptar a ele”, disse Celita.

“O problema do brasileiro é só enxergar os problemas. Gosto de praticidade. Quando minha loja estiver sem nenhum tipo de acesso, darei meu jeito para continuar vendendo, seja indo na casa dos clientes ou vendendo pela internet, por exemplo. Para tudo se tem um jeito e daqui eu não sairei”, afirmou.

Compartilhar: