Lúcio cita contrabando e rebate acusações de Emerson Sheik

Segundo Emerson Sheik, o zagueiro o teria chamado de gay

Lúcio se envolveu em discussão no primeiro tempo. Foto: Divulgação
Lúcio se envolveu em discussão no primeiro tempo. Foto: Divulgação

O zagueiro Lúcio, do Palmeiras, rebateu as acusações feitas pelo atacante Emerson, do Botafogo, ao final da partida em que o time carioca derrotou o paulista por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro. No primeiro tempo, os dois se desentenderam em campo. Emerson chamou Lúcio de mau-caráter, desleal e preconceituoso.

“São acusações bem graves que ele fez. Se ele falou isso, vai ter que provar”, afirmou Lúcio, ao SporTV, ao final da partida disputada em Presidente Prudente. Emerson falou sobre o adversário no intervalo, acusando de tê-lo chamado “de gay como se eu fosse um monstro”. Além disso, disse que o jogador tem fama de mau-caráter no meio futebolístico.

“É só pegar umas notícias que de vez em quando eu vejo sobre contrabando e várias outras coisas que eu poderia colocar em questão, mas isso não é do meu caráter. Prefiro manter meu nível. Não é à toa que eu fiquei muito tempo na Seleção Brasileira e na Europa”, respondeu Lúcio, pentacampeão mundial em 2002 e com passagens por times da Alemanha e Itália.

O caso citado pelo palmeirense ocorreu em fevereiro de 2012, quando Emerson e Diguinho, do Fluminense, foram acusados por contrabando e lavagem de dinheiro. O atacante é suspeito de ter participado de esquema de importação ilegal de veículo – Diguinho teria comprado esse veículo de Emerson por valor abaixo do mercado.

Emerson foi absolvido em primeira instância, mas em novembro o Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação do jogador, que pode pegar até quatro anos de prisão. Antes, Emerson já havia sido condenado por falsidade ideológica, já que teve o nome e a idade alterados, se transformando em um “gato” três anos mais novo que a realidade nas categorias de base do São Paulo.

Emerson se profissionalizou com o documento falso e o utilizou no Brasil e no exterior até ser flagrado pela Justiça em 2006. Foi condenado a prestar serviços comunitários. “É só comparar os caráteres: ver o meu caráter e o dele”, pediu Lúcio, ao deixar o gramado do Prudentão após a derrota palmeirense.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade