Lula, cadê dona Rose?

Por Ucho Haddad Até agora nada – Doze meses se passaram do escândalo de corrupção protagonizado por Rosemary Noronha, que…

Por Ucho Haddad

Até agora nada – Doze meses se passaram do escândalo de corrupção protagonizado por Rosemary Noronha, que se apresentava aos interlocutores como namorado do lobista e alcaguete Lula, mas até agora a presidente da República não deu qualquer satisfação ao povo brasileiro, mais uma vez espoliado em seus direitos e recursos para financiar um esquema criminoso com a chancela do Partido dos Trabalhadores.

Tão logo a Operação Porto Seguro apontou na direção de Rosemary Noronha, a Marquesa de Garanhuns, Lula e Dilma passaram a agir nos bastidores para que detalhes do imbróglio não ultrapassassem as fronteiras da Polícia Federal. Gravações telefônicas que mostravam Rose Noronha e alguns interlocutores combinando negócios escusos foram deixadas de lado, sem que a PF pudesse investir contra os criminosos.

Policiais que participaram da Operação Porto Seguro revelaram que é explosivo o conteúdo dos telefonemas e dos e-mails trocados entre os integrantes da quadrilha que vendia a peso de ouro pareceres de órgãos do governo federal.

Muitas dessas conversas trazem detalhes do envolvimento de gente graúda do governo e do próprio PT, que agia nas coxias do poder para garantir a execução de negócios ilegais. Desde que o caso veio à tona, Lula passou a evitar a imprensa, o que acontece até hoje, pois é sabido que Rosemary Noronha agia deliberadamente sabendo que contava com o respaldo incondicional do ex-informante da ditadura militar.

Responsável maior pelo período mais corrupto da história do País, Lula sabe o que fez e consegue avaliar as consequências de eventual vazamento de detalhes do caso. Sem qualquer condição financeira para custear advogados de primeira linha, Rosemary Noronha tem a seu dispor uma equipe de criminalistas de fazer inveja aos mais ricos e famosos meliantes do planeta. Os honorários dessa equipe de advogados estão sendo “custeados” por alguém que gravita na órbita do PT e goza da confiança dos “companheiros”, porque a ordem dentro do partido é evitar a todo custo que o “doutor honoris causa” vá pelos ares.

Um governo que abafa escândalo dessa natureza não merece credibilidade e muito menos tem moral para qualquer tipo de ação contra eventuais transgressores. Fosse o Brasil um país minimamente sério e com autoridades responsáveis, Dilma Rousseff já teria sido despejada do Palácio do Planalto, uma vez que sua conivência com o caso configura prevaricação.

Um processo de impeachment de Dilma só não prospera porque o governo do PT substituiu o esquema do Mensalão pelo loteamento da Esplanada dos Ministérios, o que em termos de assalto aos cofres públicos é igual ou maior do que surrupio que emoldurou o esquema de compra de parlamentares por meio de mesadas.

Depois de passar uma temporada sob a diuturna proteção de um empresário que transita com excesso de facilidade na cúpula petista, conhecido como “Eduardão”, Rosemary Noronha voltou a circular entre amigos, mesmo que com certa reserva. Fora isso, a Marquesa de Garanhuns já não esconde que retomou a vida no confortável apartamento em que mora no bairro da Bela Vista, região central da cidade de São Paulo.

O mais interessante nessa epopeia do crime é que mesmo a Polícia Federal tendo em mãos uma considerável quantidade de provas, Rose insiste em afirmar que nada fez de errado. Isso é possível porque, assim como reinventou a classe média brasileira, o PT criou uma nova enciclopédia do crime. E essas gatunagens inerentes à corrupção são consideradas desvios comportamentais leves no partido político que age como quadrilha. (UH, www.ucho.info)

 

Mensalão
O site lançado por Zé Dirceu, em parceria com seus cúmplices, Genoíno e Delúbio, que reune textos descriminalizando o mensalão e tratando tudo como um jeitinho de caixa 2, foi anunciado há quase um mês pelo deputado Fernando Mineiro, lá no Portal No Ar.

Fim da Tupi
O empresário Paulo Abreu, amigo de Zé Dirceu e dono do hotel Saint Peter, perdeu na Justiça o direito de uso do nome Tupi em suas rádios. O título permanece em definitivo como direito do grupo Diários Associados, fundado por Assis Chateaubriand.

Televisões
Paulo Abreu vem lutando faz tempo, com uma ajudinha do governo petista, pelo resgate do nome Excelsior, a histórica TV que dividiu a era dos festivais com a Record e foi fechada em 1970 por pressão do regime militar. Ele comprou também a TVA da Abril.

Diário e Poti
O grupo Diários Associados em Pernambuco não vendeu a Rádio Poti, como se ventilou por aqui, mas apenas arrendou a administração. E ainda não está definido que o grupo deixará morrer os títulos Diário de Natal e O Poti. Ainda é possível uma retomada.

Marina vice
Acertado para ser anunciado perto das convenções, em junho de 2014, o nome de Marina Silva como vice de Eduardo Campos na corrida presidencial deverá ser lançado já em janeiro. Pesquisas indicam um salto quando ambos são colocados juntos.

Fernando
O deputado Henrique Alves repetiu na blogosfera de Mossoró o que já havia confidenciado em rodas de Natal: o nome do PMDB ao governo em 2014 é Fernando Bezerra. Só não repetiu que a preferência para o Senado é Wilma de Faria (PSB).

Carnaval
O prefeito Carlos Eduardo (PDT) continua disposto a resgatar o carnaval de rua de Natal, como já havia demonstrado anteriormente. Assim que entrar janeiro, se reúne com executivos da Ambev para tentar um amplo patrocínio para os dias de folia.

Dobradinha
Amigos dos tempos de infância e adolescência, Carlos Eduardo e Robinson Faria constumam frequentar juntos o almoço do restaurante Nemesios, na Rodrigues Alves. Já são vizinhos de apartamentos e também de casas de verão, na Praia de Cotovelo.

FHC universal
Chegando na aldeia o livro “Fernando Henrique Cardoso – O Improvável Presidente do Brasil”, escrito em parceria com o jornalista americano Brian Winter e com prefácio de Bill Clinton. Indicado por The Economist, Financial Times e Washington Post.

Clonagem
A banda One Direction, fenômeno de popularidade entre os teens, está sendo acusada de plágio pela banda Def Leppard, que fez sucesso nos anos 80. O alvo é o hit “Midnight Memories” do novo álbum, que seria cópia da canção “Pour Some Sugar On Me”.

Compartilhar:
    • Francinete Amorim

      Já, já o “ônoriz calza mundial” vai querer publicar um livro em parceria com algum africano, português ou com alguma universidade que lhe concedeu tão grande título!!