Lula indica a possibilidade de ser o candidato do PT nas eleições de 2018

O ex-presidente esteve em Salvador para apoiar Rui Costa

Lula esteve em Salvador para apoiar a candidatura de Rui Costa. Foto: Divulgação
Lula esteve em Salvador para apoiar a candidatura de Rui Costa. Foto: Divulgação

Pela primeira vez após a oficialização das candidaturas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) veio a Salvador no rastro da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, que esteve no Pelourinho e em Piatã na semana passada.

Ontem, na Praça da Revolução, em Periperi, o petista afirmou que a eleição de Rui Costa (PT) como governador do estado “garante que a Bahia não volte ao passado” e anunciou a possibilidade de retorno às disputas nas urnas em 2018.

No subúrbio ferroviário, o técnico do time petista veio aquecer as movimentações de campanha na tentativa de impulsionar a artilharia da chapa governista. “A certeza que tenho que vocês me elegeram em 2002 e 2006, vocês vão eleger o Rui em 2014. Precisamos ir a cada bairro, cada rua, cada casa e mostrar ao povo que não volte no tempo”, completou. “Antigamente, os coronéis tinham uma fazenda, hoje tem canal de televisão. Antes eles tinham chicote, hoje têm um jornal. Não podemos deixar que os coronéis voltem a governar esse estado”, alertou.

Sobre a disputa nacional, Lula abordou a disputa entre Dilma e Marina Silva (PSB). “As duas foram minhas ministras. Quando escolhi a Dilma, estava pensando numa família de 200 milhões de habitantes. Eu a indiquei porque entendia que ela era a pessoa mais qualificada para fazer desse país a economia que queremos ser daqui alguns anos”, explicou.

O pernambucano disse que tem confiança no povo brasileiro e fez claras referências de uma possível candidatura à Presidência daqui a quatro anos. “Não permitam nenhum equivoco: elejam Dilma para 2015 e que eles saibam: em 2018 estarei vivo. Enquanto eu tiver forças, lutarei para que os que não fizeram nada em 500 anos voltem agora para estragar tudo”, afirmou.

Já o candidato Rui Costa apontou o trabalho feito pelo governador Jaques Wagner (PT) e garantiu a continuidade das ações. “Um projeto que, com Lula e Dilma, já fez a maior transformação social e econômica nesse país. E que, na Bahia, com Wagner, tirou milhões da miséria, deu acesso à água e à luz a mais de seis milhões de baianos”, disse.

O concorrente governista comentou que as manifestações vistas pelas passagens nas cidades “dão a certeza da vitória em outubro”. E reiterou: “Depois que este presidente (citando Lula) foi eleito, o nosso povo passou a ser visto, deixou de ser invisível. A Bahia já entregou 130 mil casas para o povo pobre”.

Rui também informou que ela já autorizou a liberação de R$ 600 milhões para obras que vão mudar a cara do subúrbio ferroviário de Salvador, inclusive com a revitalização da orla marítima daquela região.

Um dos coordenadores da campanha, o senador Walter Pinheiro (PT), em seu discurso, lembrou dos avanços feitos pela administração petista nos últimos anos e chamou a população para ir a campo. “A Bahia precisa avançar e para isso acontecer temos que eleger Rui governador. A partir de agora é bandeira na mão, adesivo no peito e sebo nas canelas, para eleger a coligação”, disse.

Já o vice da chapa, deputado João Leão (PP), mostrou atenção à juventude e criticou Paulo Souto. O progressista afirmou que os jovens presentes no ato não viram a “esculhambação” que era o estado quando administrado pelo democrata. Para o correligionário petista, Rui dará atenção ao futuro do público juvenil.

Críticas a ACM Neto

O governador Jaques Wagner (PT) aproveitou o comício no bairro de Periperi para alfinetar o prefeito ACM Neto (DEM), cacique democrata e principal articulador da candidatura do ex-governador Paulo Souto (DEM). Segundo o petista, o prefeito de Salvador “só faz colocar placa nas obras que estamos fazendo. Eles botam a placa, mas não dizem o valor e nem qual é a obra”, retrucou.

Dono de uma reviravolta histórica em eleições na Bahia, Wagner fez um reflexo das pesquisas que colocam o candidato Rui Costa (PT) como segundo colocado das amostragens. Além de enaltecer os trabalhos desempenhados em sua gestão, rememorou a primeira campanha que o elegeu no primeiro turno. “A empolgação que eu vejo hoje na rua me lembra minha campanha de 2006”, declarou o petista, ontem.

Sobre a disputa para presidente, para o chefe do Palácio de Ondina e principal mentor da candidatura de Rui, as principais concorrentes, Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), vão protagonizar o segundo turno e ressaltou que as postulantes foram da escola política de Lula. “Tudo indica que Aécio já era. Pela primeira vez teremos duas mulheres no segundo turno e as duas que trabalharam junto ao Lula. Mas minha candidata é a presidente. Trabalhei com Marina, mas sei que a mais preparada é a companheira Dilma”, discursou.

Fonte: IG

Compartilhar: