Lula: “Nenhum presidente fez mais do que eu para combater a corrupção”

Para Lula, os petistas precisam “andar de cabeça erguida”

O ex-presidente Lula no lançamento da candidatura do senador Delcídio Amaral (PT), em Campo Grande (Foto: Divulgação)
O ex-presidente Lula no lançamento da candidatura do senador Delcídio Amaral (PT), em Campo Grande (Foto: Divulgação)

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) declarou nesta sexta-feira (27), em Campo Grande, que nenhum candidato petista pode fugir ou ter medo do debate sobre corrupção durante as eleições de outubro.

Para Lula, os petistas precisam “andar de cabeça erguida”, porque nenhum governo da história do País fez mais que ele mesmo para combater os desvios de dinheiro público no Brasil:

Petista tem que andar de cabeça erguida, porque duvido que qualquer presidente da história do Brasil criou metade dos mecanismos de combate à corrupção que eu criei na presidência da República”, declarou o ex-presidente durante o lançamento da candidatura do senador Delcídio Amaral (PT) ao governo do Mato Grosso do Sul.

Ao mencionar o candidato Aécio Neves (PSDB), o ex-presidente Lula disse que quem tem que dar explicações ao País é o PSDB, que durante os anos de governo de Fernando Henrique Cardoso (1994-2002) “engavetou todas as denúncias de corrupção do governo”.

O que tinha no governo deles é um tapete muito grande na sala, onde toda a sujeira era varrida pra baixo. O que nós fizemos foi tirar o tapete da sala e não deixamos de investigar nada. Mas mesmo quando nós acertamos, eles lançam desconfiança sobre nós. No governo deles nenhum escândalo foi investigado. A primeira medida deles foi a extinção do decreto do Itamar Franco que criou a Comissão Especial de Investigação, para apurar desvios. Mas eles extinguiram logo quando entraram no poder”, declarou o petista.

Entre os escândalos tucanos mencionados por Lula que permanecem sem resposta está a compra de votos no Congresso Nacional para aprovar a emenda da reeleição, em 1996, que favoreceu Fernando Henrique Cardoso.

Na época deles tinha o engavetador geral da República, que jogava pra baixo do tapete qualquer denúncia contra ministros ou mesmo a compra de votos para a reeleição de 1996. No governo deles não houve nenhuma apuração contra ministro. No nosso governo, nós escancaramos tudo e criamos o portal da transparência, além de centenas de outros decretos, onde qualquer cidadão pode fiscalizar diariamente cada centavo gasto pelo governo”, afirmou Luiz Inácio Lula da Silva.

O senador Delcídio Amaral (PT) é candidato ao governo do Mato Grosso do Sul por uma coligação formada por 11 partidos, entre PTB, PROS, PR, PDT, PCdoB, PV, PP e PTC.

O petista deve enfrentar o tucano Reinaldo Azambuja, da coligação formada por PSDB, DEM, PPS e Solidariedade, além do candidato do PMDB, Nelson Trad.

Durante a convenção do PT em Campo Grande, Lula voltou a defender o governo de Dilma Rousseff e diz que a candidata à reeleição é a presidente “mais carinhosa da história do Brasil”:

Como a Dilma tratou os brasileiros nestes três anos, nem eu consegui. Os empresários, os sem-terra ou os banqueiros podem ter raiva do Lula e dela por outro motivos. Mas nunca por terem sido tratados sem dignidade, respeito e carinho, como ela fez nesses anos. Ela tratou a população do Mato Grosso do Sul e de todo o Brasil como brasileiros legítimos”, disse o ex-presidente.

Para Lula, a raiva dos tucanos e da classe média de direita contra Dilma é reflexo da política de criação de empregos e universidades, iniciada nos governos petistas.

Quando nós chegamos no governo em 2003, o Brasil era vice campeão mundial de desemprego. Eles destruíam, em média, 1 milhão de postos de trabalho por ano no Brasil. Qual foi o mal que o PT fez que eles odeiam tanto? É porque ao invés de destruir, nós criamos 20 milhões de vagas de trabalho. Eles não se conformam que a Dilma e eu tenha conseguido fazer em 12 anos, o que eles não fizeram em um século”, advertiu Lula.

No discurso de quase 40 minutos, Lula lembrou que os governos petistas governam para todos os brasileiros, mas Dilma deve continuar a trabalhar especialmente para os mais pobres caso seja reeleita em outubro.

O que mais machuca o PSDB é que foi exatamente um presidente da República, sem diploma universitário e sucedido por uma mulher, que fizeram mais universidades na história do Brasil. Em 12 anos, nós fizemos com que esse país tivesse mais estudante do que eles fizeram no último século inteiro. Em 2003, o Brasil tinha 2 milhões de jovens na universidade. E hoje dobramos para 7 milhões de jovens nas universidades deste país. Criamos o Prouni, que permitiu pela primeira vez que um filho de sem-terra pudesse ser agrônomo, filho de pedreiro pudesse virar doutor”, disse o entusiasmado Lula, no comício de Campo Grande.

Fonte: Terra

Compartilhar: