Lutador preso por roubar taxista diz que pegou veículo emprestado

O homem alega que não é ladrão e ia devolver os R$ 70 que levou

"Eu não deixei ele com trauma" afirma assaltante sobre vítima. Foto: Divulgação
“Eu não deixei ele com trauma” afirma assaltante sobre vítima. Foto: Divulgação

Um homem de 29 anos foi preso depois de roubar o carro de um taxista na região sul de Belo Horizonte. Foram necessários quatro policiais para conseguir render Everton Antônio Alves de Assis, que é lutador de artes marciais.

O assaltante fugiu com o veículo e R$ 70. Ele parou em um posto de combustíveis e tentou vender as rodas do carro para outro taxista. Porém, o carro roubado tinha rastreador e já estava sendo monitorado. Ao fazer a abordagem, os policiais militares foram agredidos pelo criminoso, mas ele acabou imobilizado e algemado.

Assis alegou que pegou o táxi apenas para ir ao Rio de Janeiro.

“Minha intenção era só pegar o carro mesmo. Não preciso de dinheiro, não passo fome, não sou ladrão. Era só para ir ao Rio para olhar um emprego. Mas eu ia só até o meio do caminho. Ia parar em Juiz de Fora e de lá eu pegava um ônibus”.

De acordo com a vítima, que prefere não se identificar, o assaltante ameaçou o taxista com um graveto enrolado em um pedaço de pano.

“Ele falou: “é um assalto. Se vc não reagir, eu não vo te matar, agora, se reagir, vou matar”. Vou ficar pelo menos uma semana sem trabalhar. É doído”.

O lutador se defendeu dizendo que não teria outra forma de chegar ao seu destino, nem mesmo pedindo ajuda a conhecidos. Ele não se arrepende do crime.

“Tem um ditado que fala que você não empresta carro nem mulher para ninguém. Não bati carro. O importante é isso. Só estou arrependido de estar aqui [delegacia]. Eu não deixei ele com trauma. Eu conversei com ele. Falei que estava pegando o dinheiro emprestado porque o carro era só um detalhe. Eu ia pagar o dinheiro”.

Fonte: R7

Compartilhar: