Mãe sufocou filho com doença genética terminal: “Não aguentava mais”

Em seu 42º aniversário, Nigel Goodman havia tentado se matar com heroína

Mãe admite ter sufocado filho com travesseiro. Foto:Divulgação
Mãe admite ter sufocado filho com travesseiro. Foto:Divulgação

Heather Pratten é mãe de cinco filhos, mas dois deles foram vítimas de uma doença genética terminal, chamada síndrome de Huntington. Sem aceitar o diagnóstico, um deles, Nigel Goodman, tentou tirar sua vida com uma overdose de heroína. As informações são do site Daily Mail desta quarta-feira (5).

Em entrevista a um programa de televisão, Heather contou que estava deitada ao lado do filho e ficou angustiada ao vê-lo lutando para respirar, já que a droga havia tomado conta de seu corpo. Então, ela pegou um travesseiro e sufocou-o para aliviar seu sofrimento.

“Eu pensei ‘isso tem que acabar’. Eu não aguentava mais. Coloquei um travesseiro sobre seu rosto e ele se foi”.

A síndrome de Huntington é uma doença hereditária degenerativa do cérebro, que também havia matado seu pai Kenneth e outro filho, Philip. Pacientes com o problema apresentam alterações emocionais e mentais, como alterações de humor, falta de motivação, agressividade e depressão, que, nos primeiros estágios, muitas vezes podem ser identificadas como traços de personalidade.

Mais tarde, no entanto, os pacientes desenvolvem problemas físicos, como tiques nervosos, perda de peso e fraqueza muscular, que os deixa incapazes de engolir, falar ou se mover. Cada doente tem uma taxa diferente de deterioração, mas esta é uma condição fatal.

Após a confirmação do diagnóstico, a mãe conta que Nigel queria fechar-se fora do mundo.

“Ele disse que já tinha tentado tirar sua vida duas vezes na frente de um trem. Ele também já havia pensado em se enforcar”.

Após a morte do filho, Heather defende a dignidade de escolher seu próprio fim e lançou um livro para debater o tema.

“Estamos realmente com falta de compaixão com as pessoas que estão sofrendo”.

Fonte:R7

Compartilhar: