Antes de estuprar mãe e filha, tarado já havia abusado da própria sobrinha de 3 anos

Edilson de Almeida Filho foi preso em flagrante pouco depois do crime

Vítima contaram os detalhes da violência sexual. Fotos: Portal BO
Vítima contaram os detalhes da violência sexual. Fotos: Portal BO

Diego Hervani

Repórter

A “lista” de crimes de Edilson de Almeida Filho, de 35 anos, mais conhecido como “Dindô”, suspeito de ter estuprado uma mulher de 60 anos e a própria filha dela no início da noite desta segunda-feira (19), dentro de um comércio no bairro Nova Esperança, em Parnamirim, pode ter um outro caso tão revoltante quanto o ocorrido ontem.

De acordo com a delegada Dulcinéia Lopes, titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher de Parnamirim (Deam), a família de Edilson fez um Boletim de Ocorrência (BO) na semana passada, alegando que uma menor de idade teria sido abusada sexualmente. “Eu não posso falar muito sobre o caso. Mas o fato é que esse BO foi feito e que uma criança teria sido estuprada. Quem fez o BO é da família do Edilson. Chamamos essa pessoa para prestar alguns esclarecimentos, mas não existe nada de concreto ainda contra o Edilson nesse caso”, afirmou

Com relação ao estupro das duas mulheres, uma de 60 anos e outra de 35, Dulcinéia informou que Dindô não assumiu a autoria do crime. “Ele alegou que não fez nenhum ato de estupro, que teria sido tudo de forma consensual e que teve relação apenas com a filha e não com a mãe. Mas nós descartamos tudo isso. Ele estuprou sim as duas mulheres”.

Dulcinéia também destacou que o comportamento de Dindô foi muito agressivo durante as duas horas em que esteve na casa das vítimas. “A porta da casa estava aberta, pois as mulheres estavam estendendo roupas no varal. Ele aproveitou a oportunidade e entrou, encontrando primeiramente a filha e depois a mãe, rendendo as duas. Depois ficou sempre as ameaçando a com um facão e uma tesoura, antes de levá-las para um quarto. Foi quando o acusado mandou as duas tirarem as roupas. Ele é um ex-presidiário, foi solto há cerca de quatro meses e é considerado muito perigoso. Tem o comportamento de uma pessoa perturbada. Ele também disse que estava apaixonado por uma das vítimas”

7u67u67u67u67u

“Eu fui pegar uma rede para me deitar e, quando voltei, ele já estava com a minha filha, armado de um facão. Ele mandou ela fechar a porta e depois mandou que fôssemos para o quarto. Assim que entramos, ele mandou que minha filha me amarrasse. Ela questionou o motivo pelo qual ele mandou ela me amarrar, e ele ordenou mais uma vez que ela o fizesse. Ela disse que não tinha com o que me amarrar, foi quando ele disse que ela usasse um lençol. Minha filha amarrou meus pulsos”, detalhou a idosa em declaração para o G1-RN.

A vítima também lembrou que Dindô morava próximo à sua casa e que sempre que encontrava as duas falava com elas de forma educada. “Nós nunca imaginamos que ele poderia fazer uma coisa dessas. A gente ficou em uma situação terrível. Ele mandou a gente ficar nua. Primeiro ele tentou me matar com um travesseiro no rosto e depois disse: ‘você vai ter que ser minha de todo jeito. Como você não quer numa boa, vai ser a força’”, disse a mulher de 35 anos.

Segundo informações da polícia, no final da tarde de segunda-feira, um amigo das vítimas foi até a casa das duas e chamou por elas. Como não obteve resposta, foi observar o que estava acontecendo. Ao perceber a chegada do homem, Dindô fugiu. A PM foi acionada e depois de fazer algumas diligências na região, o suspeito foi encontrado e preso em flagrante.

 

Compartilhar: