Mãe se desespera após ser chamada de p… por amamentar filho em público

Um dos homens do bar disse ao casal que a Lei da Igualdade, promulgada em 2010, não podia proibir uma mulher de amamentar em lugares públicos

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Rhea Holley estava com um amigo, ambos com bebês de colo, no Costa Coffee em Purley, sul de Londres, quando dois clientes começaram a xingá-la enquanto ela amamentava seu filho.

A esportista de 27 anos de idade disse que sabia que o Costa Coffee não tinha problemas com a amamentação pública. Então, quando seu filho de 11 meses de idade, Arthur, começou a chorar de fome, ela prontamente foi amamentá-lo.

Em poucos segundos, no entanto, um casal idoso, sentado próximo a ela, começou a chamá-la de “puta” e dizendo que ela era “nojenta” e que esse tipo de alimentação do bebê em público era “ofensiva”.

Ela afirma que conversou com os funcionários da lanchonete, que repreendeu o casal, dizendo-lhes que a amamentação era permitida ali. Um dos homens do bar disse ao casal que a Lei da Igualdade, promulgada em 2010, não podia proibir uma mulher de amamentar em lugares públicos e os advertiu sobre o abuso verbal que fizeram.

Rhea elogiou a equipe da lanchonete por ter chamado a atenção do casal. “Foi tão bom eles, não apenas cumprirem a lei sobre a amamentação, mas também ser tão favorável a causa”.

Um porta-voz do Costa Coffee disse: “As mães trazem as crianças de todas as idades para cá e são sempre muito bem recebidas por nós. Sempre ficamos muito satisfeitos ao ver mães à vontade em amamentar seus bebês aqui, já que nossas lojas oferecem um ambiente familiar, para que mães e pais venham desfrutar de um tempo com seus filhos”.

Fonte: Divulgação

Compartilhar:
    Publicidade