Maiores de 50 anos se expõem mais nas redes sociais

No total, 52% dos entrevistados compartilham seu endereço de e-mail, 27% divulgam seu número de telefone celular e 26% seu endereço residencial

A empresa realizou 1.258 entrevistas com consumidores americanos. Foto: Divulgação
A empresa realizou 1.258 entrevistas com consumidores americanos. Foto: Divulgação

Um estudo divulgado pela companhia especializada em segurança da informação McAfee aponta que pessoas entre 50 e 75 anos estão se expondo demais na internet. Segundo o levantamento, 57% dos usuários com essas faixas etárias estão compartilhando informações pessoais com pessoas que nunca viram pessoalmente. No total, 52% compartilham seu endereço de e-mail, 27% divulgam seu número de telefone celular e 26% seu endereço residencial. A empresa realizou 1.258 entrevistas com consumidores americanos.

A vice-presidente e diretora de privacidade da companhia, Michelle Dennedy, alerta que estes usuários se dizem conhecedores de tecnologia, o que pode representar um comportamento de alto risco, principalmente pelo uso cada vez mais comum das redes sociais por parte deste grupo etário. Para ela, entender a diferença entre os riscos reais e os percebidos na internet é a melhor maneira de se proteger.

A pesquisa que leva o nome de Fifty Plus Booms Online, pessoas com mais de 50 bombam na internet, em tradução livre, também identificou que 16% dos participantes admitiram passar por situações negativas quando estão conectados às suas contas nas redes sociais. No entanto, apenas 19% deles alegaram que o incidente foi suficientemente grave para acabar com a amizade. As experiências negativas incluem mensagens inadequadas de amigos (23%) e brigas com um amigo, cônjuge ou companheiro (9%).

Aproximadamente 80% dos usuários de smartphones e 43% dos usuários de tablets publicam fotos tiradas com esses aparelhos. No entanto, 33% não protegem seus dispositivos com senhas. Dos 93% que protegem suas contas com softwares de segurança, 56% são usuários de smartphones e 59% utilizam tablets. Outros 24% admitiram usar seus dispositivos para enviar mensagens pessoais ou íntimas em forma de texto, e-mail ou fotografias.

 

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade