Mais tatuado do Reino Unido gasta R$ 22 mil para recomeçar os desenhos

Matthew Whelan, o homem mais tatuado do Reino Unido, quis remover as tatuagens e começar tudo de novo

Matthew Whelan, de Birmingham, cobriu todo o corpo, incluindo o globo ocular, mas agora ele acredita que as sua aparência está fora de moda Foto: The Grosby Group
Matthew Whelan, de Birmingham, cobriu todo o corpo, incluindo o globo ocular, mas agora ele acredita que as sua aparência está fora de moda. Foto: The Grosby Group

Matthew Whelan, o homem mais tatuado do Reino Unido, chegou a mudar o nome para The King of Inkland (“o rei da terra da tinta”, em tradução literal), mas gastou cerca de £ 6 mil (mais de R$ 22 mil) para remover as tatuagens. A justificativa, segundo o britânico, é que não havia mais espaço em sua pele e ele gostaria de começar tudo de novo. As informações são do site Daily Mail.

Whelan cobriu todo o corpo de tatuagens, incluindo o globo ocular, mas agora acredita que sua aparência esteja fora de moda. Aos 34 anos, o britânico se submeteu ao dolorido processo de remoção à laser porque sê vê como uma “tela viva” e uma “galeria de arte humana”, segundo ele, precisa evoluir.

Whelan já havia gastado £ 30 mil (aproximadamente R$ 110 mil) em tatuagens e fez o seu primeiro desenho aos 16 anos – um Bulldog. Mas agora ele decidiu que, após duas décadas, precisa dar uma renovada em sua coleção. “Eu penso em mim mesmo como uma galeria de arte. Depois de um tempo, a arte fica velha e as pessoas querem ver algo novo e é assim que me sinto com relação às minhas tattoos”, explica.

Como não havia espaço para novos desenhos, ele resolveu livrar-se delas para começar do zero. Nos últimos dois meses, foi submetido a seis sessões de remoção, um procedimento doloroso e demorado. “Finalmente posso ver a pele. Está cheia de bolhas, mas isso é bom porque significa que está se curando”, pontuou.

Agora, King of Inkland planeja seu próximo conjunto de tatuagens e está ansioso para ocupar o lugar onde ocorreram as remoções. “Alguns dos meus amigos acham que sou maluco, e pode até parecer estranho para algumas pessoas, mas para mim, eu sou uma tela viva.”

Ele afirma ainda que se pudesse já começaria as novas tatuagens, mas tem que esperar a pele sarar. Whelen conta que a modificação do corpo significa uma cultura, um modo de vida e quase uma religião. Ex-lutador, atualmente ele atua no escritório do deputado liberal democrata John Hemmings. Ele conta que queria fazer tatuagem desde os 9 anos de idade, depois de ver no seu pai e no seu tio. Cobras, escorpiões e vampiros estão entre as ilustrações do seu corpo . “Quando eu morrer eu, quero deixar meu corpo para um museu ou para um membro da minha família”, concluiu.

 

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade