Mais um suspeito é preso e amarrado por testemunhas de assalto

De acordo com a Polícia Civil, Paulo da Silva Henrique, 32 anos, foi perseguido após ter sido flagrado empurrando uma estudante de 24 anos para roubar o seu celular

Testemunhas de um assalto prenderam e amarraram o suspeito Paulo da Silva Henrique, 32 anos. Foto: Divulgação
Testemunhas de um assalto prenderam e amarraram o suspeito Paulo da Silva Henrique, 32 anos. Foto: Divulgação

Um suspeito de um assalto foi preso após ter sido detido e amarrado por testemunhas do crime ocorrido no bairro Santa Branca, em Belo Horizonte (MG), na quarta-feira. De acordo com a Polícia Civil, Paulo da Silva Henrique, 32 anos, foi perseguido após ter sido flagrado empurrando uma estudante de 24 anos para roubar o seu celular.

De acordo com o delegado Matheus Cobucci, Paulo cumpre pena por roubo no Presídio Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, e tinha obtido uma autorização da Justiça para passar o Dia das Mães em liberdade. Ele havia saído do local no sábado e o seu retorno à cela deveria ocorrer amanhã. Com a prisão, ele foi encaminhado para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) da Gameleira.

A estudante que sofreu o ataque estava em um ponto de ônibus da avenida Pedro I. Ela contou que tentou evitar que o desconhecido roubasse seu celular, mas foi empurrada por ele e acabou caindo na pista, em meio aos carros, enquanto ele corria, levando o aparelho.

A cena revoltou as pessoas que presenciaram o roubo, que passaram a perseguir o suspeito. Ele foi detido na rua São João da Vereda, após levar um tombo. Ele teve os pés e as mãos amarradas pelas testemunhas até a chegada dos policiais militares.

Em seu depoimento na delegacia, Paulo, que é natural de Ipatinga, disse ser usuário de drogas e alegou estaria dormindo pelas ruas desde que saiu da prisão. Com a frase “Amor só de mãe. O resto é só ódio”  tatuada nas costas, o suspeito falou ainda que não pretendia voltar para o presídio na data estabelecida pela Justiça.

A Polícia Civil acredita que, a partir da divulgação da foto de Paulo, que exibe também a tatuagem de um palhaço no braço direito, outras pessoas deverão comparecer à delegacia, após reconhecê-lo como autor de outros roubos ocorridos na região.

Fonte: Terra

Compartilhar: