Maluf vira mau exemplo em campanha contra corrupção na Suíça

Na página oficial da campanha, Maluf é chamado de "Mr. Kickback", que equivale a "Sr. Propinas" em português

Em sua conta oficial no Instagram, Maluf publicou uma foto em que estaria jogando videogame com o neto. Na corrida eleitoral deste ano, o político foi desclassificado. Foto: Divulgação
Em sua conta oficial no Instagram, Maluf publicou uma foto em que estaria jogando videogame com o neto. Na corrida eleitoral deste ano, o político foi desclassificado. Foto: Divulgação

Depois de ter a sua candidatura barrada pelo Tribunal Regional de São Paulo no início da semana, o deputado federal Paulo Maluf (PP) foi escolhido para ser um dos exemplos de políticos corruptos de uma campanha internacional contra a corrupção, lançada nesta terça-feira, na Suíça.

Batizada de “Desmascare a corrupção”, a campanha é promovida pela ONG Transparência Internacional, uma instituição fundada em 1993, com sede em Berlim. Na página oficial da campanha, Maluf é chamado de “Mr. Kickback” (“Sr. Propinas”, em português).

O caso do político é usado como exemplo na campanha, que pretende pressionar o governo da Suíça a mudar as leis em relação à proteção de sigilo bancário. “Longe dos contribuintes que o elegeram, Maluf comprou relógios de luxo e joias em casas de apostas em Nova York”, diz o texto da ONG.

“Poucos podem dizer que têm um verbo em sua homenagem, mas Paulo Maluf pode”, diz o site da campanha, que cita o verbo popular “malufar”, usado, segundo a instituição, como sinônimo de “roubar dinheiro público”.

A campanha ainda cita que, apesar das acusações e de existir um mandado de prisão internacional contra o político na Interpol, Maluf não está preso. Mesmo com a candidatura indeferida, o político aparece como o principal garoto-propaganda da campanha eleitoral de seu partido.

Fonte: Terra

Compartilhar: