Natal e Manaus são únicas sedes que não entregaram nenhuma obra da Copa

Natal propôs oito intervenções, com custo estimado de R$ 1,5 bilhão

A construção da Arena das Dunas está em andamento e tem previsão de entrega mantida para dezembro. Foto: Divulgação
A construção da Arena das Dunas está em andamento e tem previsão de entrega mantida para dezembro. Foto: Divulgação

Faltando pouco mais de seis meses para a abertura da Copa do Mundo, duas sedes ainda não entregaram nenhuma das obras prometidas em 2010. Se forem levadas em conta as 12 sedes do Mundial, o país já desistiu de um compromisso a cada cinco assumidos na Matriz de Responsabilidade.

Até o momento, todas as cidades que foram escolhidas para receber jogos do torneio entregaram menos da metade das obras do que prometeram.  O levantamento leva em conta 114 intervenções divididas em mobilidade urbana, aeroportos, portos e estádios. Segundo o último relatório divulgado pelo governo federal, 19 obras foram entregues, 22 foram abandonadas e 74 ainda estão em andamento.

Natal propôs oito intervenções, com custo estimado de R$ 1,5 bilhão. Uma dessas obras não tem obrigação de ficar pronta até o Mundial – a reestruturação da Avenida Engenheiro Roberto Freire foi retirada da matriz. A construção da Arena das Dunas está em andamento e tem previsão de entrega mantida para dezembro.

A construção do Terminal Marítimo de Natal deve ser inaugurada em março de 2014, segundo dados do acompanhamento feito pelo governo federal. O aeroporto de São Gonçalo do Amarante e sua concessão para a iniciativa privada devem ficar prontos no mês seguinte. Outras três obras de mobilidade na capital do Rio Grande do Norte ainda estão em andamento.

Depois de abandonar dois projetos, um monotrilho e um corredor de ônibus, Manaus ficou com três promessas dentro do planejamento de melhorias para a Copa do Mundo. A construção da Arena Amazônia e a reforma do aeroporto e do porto da capital do Amazonas tem investimento de dinheiro público previsto em R$ 1,2 bilhão.

O estádio tem inauguração prevista para o fim do dezembro, enquanto as obras do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes são esperadas para abril e a revitalização do Terminal Hidroviário de Manaus só deve ficar pronta em maio, um mês antes da Copa.

Porto Alegre, a cidade que incluiu mais projetos na Matriz de Responsabilidades, foi também a que mais tirou obras da lista de compromissos assumidos para o Mundial. De um total de 17 intervenções, apenas o módulo operacional do Aeroporto Internacional Salgado Filho foi entregue. Cinco obras estão em andamento e 11 itens foram excluídos da lista de compromissos e devem ficar prontos após a Copa.

 

 

Fonte: Uol

Compartilhar: