Manicure que matou criança por vingança é condenada a 32 anos

O menino foi dado como desaparecido após a manicure buscá-lo na escola onde ele estudava, dizendo que o levaria para fazer exames

João Felipe foi dado como desaparecido após sair da escola. Foto:Divulgação
João Felipe foi dado como desaparecido após sair da escola. Foto:Divulgação

A manicure Suzana do Carmo de Oliveira Figueiredo foi condenada a 32 anos de prisão pelo juízo da 1ª Vara da Comarca de Barra do Piraí (100 km do Rio de Janeiro) pelo sequestro, morte e ocultação do cadáver de João Felipe Bichara, que tinha seis anos quando o crime aconteceu, em março de 2013.

Ela foi condenada pelos crimes de extorsão mediante sequestro que resultou em morte e ocultação de cadáver. A pena pelo primeiro crime foi de 30 anos, e pelo segundo, de dois — no Brasil, o tempo máximo de pena é 30 anos.

O caso não foi a júri popular porque a denúncia contra a manicure não foi de homicídio, e sim de sequestro que terminou em morte.

Relembre o crime

Suzana era manicure da mãe do garoto e confessou o crime, segundo a Polícia Civil. A motivação seria uma vingança contra a mãe da criança. O corpo foi encontrado pela polícia na casa da acusada, dentro de uma mala.

O menino foi dado como desaparecido após a manicure buscá-lo na escola onde ele estudava, dizendo que o levaria para fazer exames. Em depoimento ao delegado Jose Mário Salomão Omena, titular do 88ª Distrito Policial (Barra do Piraí), Suzana disse que ligou para a instituição se fazendo passar pela mãe da criança e avisou que iria buscar o menino.

A vítima foi levada a um hotel no centro de Barra do Piraí, onde foi asfixiada com uma toalha molhada até a morte.

Fonte:Bol

Compartilhar:
    Publicidade