Máquina faz temaki em 15 segundos e tem franquia em supermercado por R$ 88 mil

"Um sushiman pode levar meses para aprender a técnica, com o equipamento basta um dia de aula para qualquer pessoa produzir a iguaria", diz.

Além do tempo de preparo, Ferrão afirma que a máquina também auxilia na formação de profissionais que produzem o prato. Foto:Divulgação
Além do tempo de preparo, Ferrão afirma que a máquina também auxilia na formação de profissionais que produzem o prato. Foto:Divulgação

Uma máquina que faz temakis (cones de alga, arroz e peixe, originários da culinária japonesa) em 15 segundos é a aposta do empresário Eugênio Ferrão, 51, para atrair interessados em abrir uma unidade de sua franquia, a Japa Express.

Segundo o empresário, o equipamento agiliza o preparo do prato japonês já que, normalmente, um sushiman demora de 30 segundos a um minuto para fazer a iguaria. Além do tempo de preparo, Ferrão afirma que a máquina também auxilia na formação de profissionais que produzem o prato.

“Um sushiman pode levar meses para aprender a técnica, com o equipamento basta um dia de aula para qualquer pessoa produzir a iguaria”, diz.

A máquina funciona da seguinte maneira: primeiro, coloca-se a alga sobre uma forma de plástico e em seguida o recheio de arroz e peixe picado. Depois, aciona-se uma alavanca para que a forma com a alga e o recheio seja puxada para um molde que dará o formato de cone ao produto. Por fim, é só retirar o cone do molde.

Todas as lojas da Japa Express operam dentro de supermercados da marca Carrefour, devido a uma parceria entre a multinacional francesa e a franquia, segundo o empresário. Atualmente, há oito unidades da rede em funcionamento com este modelo no Estado de São Paulo.

As unidades são projetadas no formato de quiosque e o investimento inicial é de R$ 88 mil (inclusos taxa de franquia + instalação + capital de giro). O faturamento médio mensal do franqueado varia de R$ 15 mil a R$ 40 mil, com lucro líquido de 20% (de R$ 3.000 a R$ 8.000).

“Os quiosques ficarão próximos à peixaria do hipermercado e não haverá cobrança de aluguel, água e luz”, afirma Ferrão. Em contrapartida, ele diz que o franqueado terá como único fornecedor de insumos a própria rede francesa. Além disso, uma porcentagem do faturamento do negócio será repassada ao Carrefour. O valor não foi revelado.

Empresário investiu R$ 30 mil em máquina para fazer temakis

Segundo Ferrão, foi necessário um ano e R$ 30 mil para desenvolver o equipamento. Ele já havia desenvolvido uma máquina semelhante para a produção de sushis.

De acordo com ele, com um treinamento básico, qualquer profissional é capaz de manusear a máquina e preparar os temakis. Com isso, ele dispensa a necessidade de um sushiman. “É muito difícil achar um sushiman habilitado no mercado e, além disso, são profissionais que necessitam de salários elevados”, diz.

Máquina reduz custos, mas produto perde sabor

Ferrão diz que a média salarial de um funcionário da franquia é de R$ 1.200. Já o salário de um sushiman começa em R$ 4.000, de acordo com o Sinthoresp (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de São Paulo).

O diretor-executivo da entidade, Rubens Fernandes da Silva, diz, no entanto, que a máquina pode auxiliar o trabalho do sushiman, mas não substitui-lo. “Sem a criatividade e o toque especial deste profissional, o produto perde em sabor e a sua característica artesanal.”

Japa Express:

Japa Express: (11) 2649-7366.
Site: www.japaexpressfranquias.com.br

Fonte:Bol

 

Compartilhar:
    Publicidade