Feliciano: A família brasileira não aguenta mais sexo e drogas nas novelas

Na visão do deputado a população brasileira é conservadora e está sendo desconstruída, graças ao exemplos vulgares e hostis mostrados em programas da TV Globo

UN EVANGÉLICO ACUSADO DE HOMÓFOBO SIEMBRA POLÉMICAS EN EL CONGRESO BRASILEÑO

Em seu pronunciamento da Câmara Federal nesta terça-feira (15), o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) comentou uma entrevista que o autor de telenovelas Manoel Carlos concedeu ao jornal O Estado de São Paulo.

O dramaturgo foi questionado sobre a baixa audiência da novela“Em Família” que mostrou a personagem principal trocando o esposo por uma mulher. Na resposta Manoel Carlos acusou a imprensa brasileira de ser conservadora e ponderar mais as declarações contra o casal Clara e Marina da novela.

Feliciano rebateu a fala do autor de “Em Família”, dizendo que a imprensa brasileira não é conservadora, mas progressista, tanto que os jornais e TVs se uniram no ano passado contra ele por conta de seu posicionamento conservador.

“Que imprensa nesse país é conservadora?”, questionou o parlamentar evangélico lembrando que ele sofreu quando assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (CDHM).

Em sua opinião, a baixa audiência da novela das 21h da Rede Globo se deve ao fato da família brasileira estar cansada de ver seus valores morais serem agredidos. “A população brasileira não aguenta mais ver a família tradicional ser desconstruída”, afirmou Feliciano.

O deputado do PSC citou a baixa audiência da última edição do Big Brother Brasil mostrando que consumo de álcool, homossexualismo, nudez e sexo explícito não atraí os telespectadores como se era esperado pelo emissora.

“Será que não seria hora da população brasileira entender que tudo o que está acontecendo é um reflexo daquilo que a sociedade pensa?”, questionou.

 

Fonte: Gospel Prime

Compartilhar: