Marinho: o potiguar que fez muito pelo futebol – Danilo Sá

Estávamos na véspera da partida decisiva entre Brasil e Holanda, aquele fatídico jogo de triste lembrança para os brasileiros na…

Estávamos na véspera da partida decisiva entre Brasil e Holanda, aquele fatídico jogo de triste lembrança para os brasileiros na Copa do Mundo de 2010. A ansiedade já era grande em todo o país. O time não passava segurança para os torcedores, mas, como bons apaixonados por futebol, ninguém queria nem pensar em uma eliminação tão precoce quanto acabou sendo.

Por telefone, recebo do jornalista Alan Oliveira, diretor-editor do portal Dez na Rede, a função de fazer uma matéria com o ex-jogador Marinho Chagas. Como produtor de conteúdo do site, recebi a missão com alegria; finalmente entrevistaria o potiguar que teve a honra de disputar uma Copa do Mundo, e ainda por cima ter sido eleito o melhor lateral esquerdo daquela competição, disputada em 1974.

Não demorou muito e consegui contato com o ex-atleta por telefone, para aquela que seria a minha única entrevista com o “Bruxa Loura”. Foi de uma simpatia e humildade sem igual, características que sempre lhe marcaram. Brincalhão como sempre, demonstrava pessimismo em relação ao futuro do Brasil no mundial. Entre outras coisas, disse que a Holanda era favorita, mas que torceria muito pelo sucesso do time de Dunga.

Não sei porque, lembrei de cada palavra de Marinho durante aquela partida quatro anos atrás. No 1 a 0 marcado por Robinho, me veio à memória a frase do ex-jogador, de que tínhamos um time com defeitos e estes eram do conhecimento holandês. Bastou pouco para o elenco brasileiro ruir, justamente em suas principais falhas. Dois gols de jogadas aéreas e o destempero inesquecível do volante Felipe Melo, marcado para sempre após o pisão em Robben. Marinho acertava em cheio a sua previsão.

Mas, a melhor resposta ficou para o final. Questionado sobre o prêmio conquistado em 74, quando viu a seleção ser eliminada para a mesma Holanda mas saindo do torneio como um dos melhores, o potiguar se emocionou. “Eu, na verdade, não tenho noção, até hoje do quanto joguei. Acho que eu tinha muita criatividade e ousadia para atacar. Eu defendia muito pouco durante a partida e atacava sempre. Não tenho noção do quanto contribui para o futebol. As vezes fico vendo alguns vídeos, já ouvi o Júnior (ex-jogador do Flamengo e atual comentarista esportivo da Globo) dizer que se inspirou em mim. Talvez eu tenha feito alguma coisa pelo futebol brasileiro”. Pois é Marinho, você fez muito por todos nós, amantes do futebol.

VAIA FOI POUCO

Histórico o show do Rappa realizado na noite do último sábado (31) em João Pessoa. Cerca de 40 mil pessoas, instigadas pelas críticas do músico Marcelo Falcão, literalmente detonaram a presidente Dilma Rousseff, já que os termos utilizados são impublicáveis. Aos poucos, apesar da base governista minizar o problema, cresce a insatisfação popular com a gestão do PT.

DEFINIÇÃO

Por falar em PT, a deputada federal Fátima Bezerra parece querer se afastar das últimas notícias que davam conta da sua possível desistência da candidatura ao Senado. Neste final de semana, durante evento realizado pelo partido, a parlamentar se emocionou ao admitir de forma praticamente definitiva o desafio. Como pré-candidato a deputado federal, surge o nome do presidente petista no RN, Eraldo Paiva.

BAGUNÇA

São ruins as primeiras notícias sobre o início do funcionamento do Aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo. De falta de água ao total desencontro de informações. Teve voo decolando rumo ao Rio Grande do Norte com o piloto discutindo com passageiros, afirmando que pousaria no Augusto Severo. No meio do caminho, pediu desculpas e anunciou a nova rota. Como muitos mandaram seus parentes para Parnamirim, a companhia aérea fretou um ônibus para transportar os passageiros até lá.

DESORDEM

Para completar a confusão, o aeroporto ainda está proibido de receber voos internacionais. Por enquanto, estes continuam chegando apenas pelo desativado Augusto Severo, até a instalação da alfândega no novo terminal. Típico jeitinho brasileiro.

DERROTA

Como já era esperado, o constrangimento da governadora Rosalba Ciarlini foi grande na reunião da executiva estadual do DEM. Como se não bastasse ter que interromper sua agenda para lutar por algo que qualquer administrador consegue de forma natural, ampla maioria do grupo foi contra a reeleição da gestora, que chegou até a chorar no encontro.

LUTA GRANDE

Agora, resta a governadora colocar sua candidatura na convenção e enfrentar o próprio partido, que decidiu pela coligação com o PMDB, única forma encontrada de manter os mandatos do DEM na Assembleia e na Câmara dos Deputados. De certa forma, se decidir por isso, Rosalba tem tudo para, novamente, passar por um grande constrangimento. É a luta.

AGORA É TARDE

De certa forma, é incrível a trajetória da governadora Rosalba Ciarlini. Eleita em primeiro turno com larga vantagem após três mandatos de sucesso como prefeita de Mossoró, tendo sido eleita a primeira senadora do RN, acumulou desgastes no governo. No início da gestão, teve a chance de assumir o comando do PSD, do Pros e até do PTB e PP, mas preferiu permanecer na legenda, que ainda teve o comando oferecido ao seu marido, Carlos Augusto Rosado. Fez muitas escolhas erradas.

PERIGO

É grande a preocupação com relação a prestação de serviços básicos em Natal durante a Copa. Delegacias estão totalmente deterioradas, assim como unidades de saúde municipais. Se houver algum problema de grandes proporções, salve-se quem puder.

GIRA MUNDO

Nada menos que 2.608 pessoas foram presas, parte dela de forma arbitrária, e oito morreram nas 696 manifestações realizadas em junho de 2013, segundo estudo da ONG Artigo 19 a ser lançado nesta segunda-feira (2). Além das prisões sem fundamento, entidade aponta iniciativas de projetos de lei que tentam censurar a liberdade de expressão da população com o alegado objetivo de inibir a violência, um dos componentes de parte dos protestos do ano passado. No período, 117 jornalistas foram feridos ou agredidos de acordo com a ONG. Outros 10 profissionais de imprensa foram detidos enquanto realizavam o trabalho de reportar os fatos nas manifestações.

Compartilhar:
    Publicidade