Médicos de Natal suspendem greve após retomada de negociações

Categoria aguarda contraproposta da Prefeitura no dia 06 de junho

Hospital-Sandra-Celeste-JA

Com a retomada das negociações entre o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed/RN) e a Prefeitura de Natal, os profissionais decidiram suspender a paralisação das atividades, iniciada ontem (26), e retomar os atendimentos à população. A categoria volta a se reunir com o prefeito da Capital no dia 6 de junho, quando Carlos Eduardo deve apresentar a contraproposta às reivindicações feitas.

Segundo o diretor do Sinmed/RN, Flávio Bezerra, durante a reunião foi formada uma comissão composta por representantes dos médicos e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que estudará o impacto financeiro das pautas relacionadas à incorporação das gratificações solicitadas pela entidade. Pela proposta da categoria, o município deve incorporar o valor de R$ 3 mil ao salário-base dos médicos contratados para uma carga horária de 40h e de R$ 1,5 mil para os que trabalham 20h.

“Carlos Eduardo aceitou negociar e pediu que suspendêssemos a paralisação das atividades durante esse período de estudos. Acatamos a sua solicitação, mas decidimos manter o estado de greve. Já a proposta que o prefeito apresentar ao Sinmed no próximo dia 6 será repassado para a categoria no dia 9 de junho, quando os médicos avaliarão se retomam ou suspendem a greve de uma vez”, explicou.

Flávio afirmou ainda que, com relação às denúncias de falta de insumos, equipamentos e leitos nas unidades hospitalares e de saúde do município, o prefeito se comprometeu a agilizar o levantamento dos itens em déficit para a aquisição imediata. “Ele afirmou à categoria que esses problemas, que acontece em todas as unidades de saúde de Natal, serão resolvidos em breve”, disse.

Ontem (26), apesar da greve, os atendimentos nas unidades de saúde de Natal ocorreram sem grandes problemas, já que a demanda gerada pela ausência dos médicos municipalizados foi absorvida pelos profissionais ligados à cooperativa conveniada com o município. No Hospital dos Pescadores, nas Rocas, e na Unidade Mista de Mãe Luíza, o atendimento foi considerado normal.

Condições precárias no Sandra Celeste

Ainda ontem, a diretoria do Sinmed/RN visitou a Unidade de Pronto Atendimento Infantil Sandra Celeste, no bairro de Candelária, e o Centro de Saúde Reprodutiva Leide Morais, no Alecrim. No primeiro, foram constatadas as denúncias de superlotação, condições insalubres de trabalho e atendimento e falta de insumos. Já no segundo, os representantes da entidade confirmaram a impossibilidade de atendimentos, por falta de equipamentos, materiais e profissionais para auxiliar os médicos.

Segundo o presidente do Sinmed/RN, Geraldo Ferreira, a situação no Sandra Celeste é lastimável e preocupante, por oferecer riscos reais para médicos, enfermeiros e pacientes. “Encontramos uma demanda exagerada para uma pequena equipe médica, poucos leitos, material e equipamentos deficitários e em situação lastimável, entre outros problemas graves, que oferecem riscos a todos que freqüentam o local”, enfatizou.

Compartilhar:
    Publicidade