Menino morto por suspeitos de beber sangue tinha passagens pela polícia

Corpo foi encontrado em cova rasa em quintal de suspeito após denúncia anônima

 Corpo foi encontrado em quintal na casa do suspeito. Foto: Reprodução Rede Record
Corpo foi encontrado em quintal na casa do suspeito. Foto: Reprodução Rede Record

O adolescente Gleyciel Cândido Lusquinho, de 14 anos, morto por um grupo em Nova Venécia, Espírito Santo, já tinha cinco passagens por crimes. Segundo a polícia, todas as ocorrências foram por furto, mas ele nunca chegou a ficar detido.

O corpo dele foi encontrado em uma cova rasa no quintal da casa de Jorge Mariano da Silva, de 48 anos. Silva e mais três pessoas foram presas suspeitas do crime. A Polícia Civil informou que o homicídio foi cometido com requintes de crueldade e que os suspeitos tomaram o sangue da vítima e retiraram órgãos.

Andréia Amaro da Silva, de 18 anos, foi apontada pelos outros detidos como a mandante do crime. Ela teria decidido matar Gleycel porque estava com ciúme dele com uma garota. O adolescente foi morto enforcado e atingido por golpes de martelo, além de facadas.

Janine Fantecelle, de 26 anos, também foi presa. Um menor de idade detido com o grupo contou detalhes do assassinato e, segundo a polícia, não mostrou nenhum arrependimento. Os suspeitos devem responder por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e corrupção de menores. O menor de idade deverá responder pelo crime com medida socioeducativa.

O menor chegou a dar entrevista na delegacia à imprensa e confirmou o homicídio.

— A Andréia deu uma facada no peito do menino, ele caiu no chão. Depois disso, o Jorgão pegou um copo de sangue dele e bebeu. Deixamos o corpo tampado lá, e fomos beber de novo.

Compartilhar: