Segundo pesquisa, menos de 15% dos potiguares confiam na polícia

Um dos quesitos que mais os desagradam na PM, por exemplo, é a questão de agressões e insultos verbais proferidos pelos profissionais

Rio Grande do Norte também aparece como terceiro Estado com maior número de vítimas da violência urbana em números da pesquisa. Foto: Divulgação
Rio Grande do Norte também
aparece como terceiro Estado com maior número de vítimas da violência urbana em números da pesquisa. Foto: Divulgação

Além de ser o terceiro estado do Brasil com o maior número de vítimas de violência urbana, com 31,3% de sua população já tendo sofrido algum tipo de crime, o Rio Grande do Norte também é um dos que menos acreditam em suas instituições policiais e um dos que menos prestam queixa pela violência sofrida no país, conforme a Pesquisa Nacional de Vitimização, realizada pelo Datafolha e acompanhada pelo Centro de Estudos da Criminalidade e Segurança Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (Crisp/UFMG).

Conforme o estudo, 85,8% das pessoas vítimas de algum tipo de crime no Estado não denunciam o caso à polícia porque não acreditam que o caso será resolvido ou o bem, restituído. E, daquelas que chegam a ir até uma delegacia para registrar o crime sofrido, 45% saem de lá totalmente insatisfeitas com o atendimento ou a atuação dos profissionais. Entre as capitais brasileiras, Natal tem apenas 15,1% de notificação de crimes sofridos, um dos mais baixos do país.

A subnotificação acontece principalmente nos casos de assaltos ou roubos, agressões, fraudes e ofensas sexuais. Por causa disso e também pelas condições precárias que as instituições policiais atuam, apenas 14,9% das pessoas consultadas no Estado disseram confiar na Polícia Civil e outros 13,9%, na Polícia Militar.

Os potiguares consultados afirmaram ainda que um dos quesitos que mais os desagradam na Polícia Militar, por exemplo, é a questão de agressões e insultos verbais proferidos pelos profissionais durante o atendimento. Neste quesito, o Rio Grande do Norte fica empatado em quinto lugar com o Acre no ranking nacional, com 8% de incidência.

Outro quesito analisado pelos pesquisadores foi o índice de satisfação com a atuação da polícia nos casos denunciados à polícia. De 12 tipos de violência citados, apenas os crimes de roubo de carros teve 100% de aprovação pela população. Já com relação à atuação das autoridades com relação aos crimes de roubo de motocicletas e de ofensas sexuais denunciados foram totalmente reprovados, com 0% de aprovação.

Compartilhar: